Conhecimento fez diferença na visita da São José Viação Penha mostra sua casa e aquisições ao MOB Ceará Ceará Diesel apresenta novidades em evento noturno Busólogos conhecem DD de 15 metros da Neqta MS Turismo realiza visita e passeio com o MOB Ceará MOB Ceará conhece Via Metro e Guanabara de Juazeiro do Norte Busólogos procuram relíquias em Redenção-CE Visita na Viação Pernambucana

sábado, 30 de abril de 2011

Fortaleza pode perder seu ônibus

A diretoria do Leão tem o prazo de 48 horas para saldar uma dívida com jogador que passou pelo Pici em 2007
Procurando se reerguer da eliminação no Campeonato Cearense, o Fortaleza enfrenta muitos obstáculos, fora de campo. Diariamente, seus advogados têm agido rápido para resolver pendências judiciais que restaram de administrações anteriores.

Assim é que ontem pela manhã, surgiu mais uma causa trabalhista já ganha pelo reclamante. Um oficial de Justiça foi ao Pici, a mando do Tribunal Regional do Trabalho com um mandado de penhora, avaliação e remoção do ônibus do Tricolor. A questão judicial foi ganha pelo ex-jogador do clube, Anderson Luís de Brito. Segundo o pessoal do Tricolor, Anderson jogou no Leão em 2007.

Uma fonte do Tribunal Regional do Trabalho informou que a Justiça fez uma pesquisa entre as finanças do Leão, não encontrou dinheiro em caixa e foi atrás de bens. Dois ônibus foram arrolados para que se pague a dívida de R$ 86 mil.

O advogado do Fortaleza, Daniel de Paula Pessoa, informou ontem que não houve a penhora do ônibus, no caso, o mais novo. "Eu não sou o advogado da questão propriamente dita, mas sim o nosso ex-presidente Jorge Mota. Só vi o documento do oficial de Justiça. Mas, o que houve é que a Justiça manda colocar o ônibus como garantia da dívida. Não houve a lavratura de penhora. O ônibus está intransferível no Detran e o Fortaleza tem 48 horas para pagar o débito ao jogador autor da ação", explicou Daniel de Paula Pessoa.


Saiba mais
´Brinquedo´ caro
O ônibus atual do Fortaleza, que recebeu novos adesivos com as cores do clube, foi adquirido em 2005. Chegou seminovo no Leão e serviu para o transporte dos atletas em jogos no interior e treinos fora do Pici. Na época, teve as prestações assumidas pelo conselho deliberativo e custou ao clube R$ 490 mil

Oficina
Em 2010, o ônibus ficou mais tempo em oficinas do que no Pici, porque tinha problemas de suspensão e os dirigentes não puderam arcar com as despesas. Agora, quando saiu da oficina, caiu nas mãos da Justiça


sexta-feira, 29 de abril de 2011

Empresas alteram as rotas para escapar dos buracos na Capital



Cerca de 20% das rotas são alteradas, segundo as empresas. Foto: Mauri Melo
Quadras chuvosas aumentam transtornos no trânsito – abrem buracos, alongam engarrafamentos, danificam as suspensões dos carros. Os danos causados são “democráticos”: afetam transporte coletivo e privado. Das 22 empresas de ônibus operantes no transporte coletivo urbano da Capital, O POVO ouviu 12 a respeito da combinação entre chuvas e vias esburacadas. Atraso nas linhas é a consequência apontada de pronto.


Mesmo com tantos problemas, a frota não aumenta (se aumentasse, onde trafegaria?) e o motorista é orientado a ter cautela, então atrasa. “Quem conhece a avenida Osório de Paiva em tempo de chuva e não quer danificar o ônibus, não passa da terceira marcha. É muito buraco”, resume o motorista Gilberto Cavalcante, 43 anos.

O estresse dos usuários atrasados começa na garagem das empresas. “Já chegamos a uma hora e meia de atraso”, confessa o chefe de tráfego de uma das empresas contatadas. A Empresa de Transporte Urbano de Fortaleza (Etufor) verifica todos os atrasos. Quando não encontra justificativas, a empresa é punida com suspensões de viagens.

Para fugir das vias esburacadas ou em obra, muitas empresas mudam as rotas. Temporárias ou fixas, essas mudanças aliviam o percurso, mas não resolvem o problema. Numa das empresas consultadas, 8 das 12 linhas operadas precisam de desvio. Em todas as companhias, um mínimo de 20% das rotas precisa ter rumo modificado em nome do funcionamento regular.

A principal reclamação recai sobre os trajetos por bairros periféricos. “Ainda assim, de vez em quando, a gente pega uma rua que não está na rota, faz um retorno fora do programado, porque todo dia tem buraco novo”, confessa o chefe de tráfego que controla 70 ônibus na empresa onde trabalha.

Manutenção

Os chefes de tráfego das empresas contatadas destacaram aumento na quantidade de consertos necessários para veículos em bom estado. A média é aumento de 40% em reparos nos últimos três meses - duas empresas não souberam precisar este aumento. Molas quebradas, pneus rasgados e lataria danificada são problemas recorrentes.

“Os reparos nos carros aumentaram de 10 para 30 por dia, nesses três meses”, reclama o operador responsável por 32 linhas circulantes em todos os terminais. Ao todo, 173 carros. Em outra empresa, a manutenção periódica dá lugar à corretiva: “Não existe mais manutenção preventiva, só corretiva. Aqui é liberando um e ajeitando outro, direto”.

Cratera atrapalha o trânsito na saída do terminal Siqueira

A frente do terminal do Siqueira é ante-sala para esburacada avenida Osório de Paiva. Tão logo deixam as plataformas e saem do terminal, os ônibus ensaiam a convivência com a precariedade do asfalto. É preciso reduzir a velocidade e provocar os solavancos mal-quistos pelos passageiros para vencer o amontoado de buracos logo na saída do terminal.

Conforme a Empresa de Transporte Urbano de Fortaleza (Etufor), a partir do interesse da reportagem, o órgão encaminhará ofício à Secretaria Executiva Regional (SER) V pedindo solução para os buracos em questão.

Quanto aos atrasos em tempo chuvoso, a Empresa de Transporte Urbano de Fortaleza (Etufor), por meio da assessoria de imprensa, informa: há mais tolerância a percursos mais demorados nesta época do ano, por causa das chuvas. Por questões de segurança, a velocidade operacional dos coletivos é menor em condições adversas, mas a orientação do órgão às empresas continua sendo a de cumprir os horários.

Ainda conforme a Empresa, mesmo com atrasos, o número de viagens em tempo chuvoso é equivalente aos dias de sol. No dia 25 de março, por exemplo, 19.511 viagens foram realizadas pelos ônibus de transporte coletivo. No dia 29, quatro dias depois, foram 19.545.
FONTE: O POVO pág. 08

terça-feira, 26 de abril de 2011

Nova linha 087-Expresso-Siqueira/Papicu já está funcionando

Uma nova linha de ônibus junta-se a outras duas na tentativa de ligar com mais eficiência a área abarcada pelo terminal do Siqueira à região comercial de Fortaleza, cortada por avenidas como Dom Luís e Desembargador Moreira. Expressa, a Siqueira / Papicu (087) percorrerá 39,3 km entre os dois terminais, consumindo 90 minutos nos dois trechos (ida e volta).

A linha, que passou a circular ontem, de acordo com Empresa de Transporte Urbano de Fortaleza (Etufor), é parte da reestruturação feita a partir do aumento de demanda de passageiros. Nos últimos quatro anos, o número de usuários do transporte público aumentou em 20%.

Diferentemente das linhas Siqueira/Papicu/Aeroporto (030) e Siqueira/Papicu/13 de Maio (027), a 030 será expressa até a avenida Desembargador Moreira. Ao todo, 13 veículos fazem o itinerário, com intervalo de sete minutos em horários de pico. Segundo Ferreira Silva, chefe da divisão de planejamento da Etufor, a organização da linha segue parâmetros percebidos com base em pesquisas, como a que indicou que mais de 70% das pessoas que usam o transporte saindo do Siqueira descem do ônibus nas imediações da avenida. “Apenas 14% dos usuários vão até o terminal do Papicu”, disse Ferreira.

O trajeto da 030 passa pelas vias Osório de Paiva, Nereu Ramos, Godofredo Maciel, Dedé Brasil, Justa Araújo, Julio Verne, 15 de novembro, Carlos Jereissati, Alberto Craveiro, Raul Barbosa, Desembargador Moreira, Dom Luís, Julio Abreu, Vilas Ribeiro, Eng. Santana Jr. e Lauro Nogueira.

A Etufor explica que a reestruturação da linha Grande Circular e o fim da linha Paranjana resultaram em transformações na organização do transporte. Dessas duas, resultaram oito linhas de ônibus, que atendem os mesmos pontos, mas de maneira capilar. Pelo terminal do Siqueira passam 40 linhas e 317 veículos.
Realiza o trajeto em 90 minutos entre os terminais Siqueira e Papicu, e conta com 13 veículos. É expressa do trecho que vai do Siqueira até a avenida Desembargador Moreira. Daí em diante, obedece às paradas. Na volta, a linha segue a mesma lógica, parando no trecho indicado.

Fonte: Henrique Araújo
Reeditado: 01/08/16

sábado, 23 de abril de 2011

Nova linha 087-Expresso-Siqueira/Papicu com algumas mudanças temporárias

A partir da próxima segunda-feira (25), uma nova linha de ônibus passa a circular em Fortaleza. É a linha 087, Expresso, ligando o Papicu ao Siqueira. Um informe está anexado nas colunas dos dois terminais envolvidos e um jovem aprendiz há dois dias, distribui nas filas das linhas 027, 030 e 050, um panfleto indicando a novidade.

A Empresa de Transporte Urbano de Fortaleza ETUFOR ofertará o novo serviço para possibilitar maior rapidez nos deslocamentos dos usuários. A linha nova, no sentido Siqueira Papicu terá parte do seu percurso expresso, isto é, sem paradas até chegar na Desembargador Moreira. A primeira parada será na Assembleia Legislativa, e segue com fluxo de embarque e desembarque até o Papicu, tanto indo, quanto voltando.

Em virtude desta mudança a ETUFOR informa que na mesma data haverá uma mudança temporária no ponto de embarque da linha 386-Planalto Granja Lisboa, que de 04:40 as 10:00 da manhã, será ao lado da linha 376-Santa Cecília 2, ou seja, no seu antigo ponto.

Para maiores esclarecimentos, um informe está anexado nas colunas de embarque e desembarque dos dois terminais com mais detalhes da rota. 

Reeditado: 01/08/16

quinta-feira, 21 de abril de 2011

Viação Timbira muda de nome para Santa Cecília

Hoje para a surpresa geral de todos os busólogos de Fortaleza, a partir de hoje dia 21/04/2011, a empresa Viação Timbira, passou a se chamar Viação Santa Cecília. 

Por razões ainda desconhecidas ela volta a ter o nome da empresa de transporte urbano fundada por Manoel Ferreira de Azevedo, e agregada pelo grupo empresarial em 1972, sendo que a partir desta fusão, a Timbira ingressou no ramo de transporte urbano.

Leia um pouco do que diz os arquivos da CEPIMAR:  "Em 1951 Manoel Ferreira de Azevedo registra sua firma individual com nome de fantasia Empresa Viação Santa Cecília, mas há registros na imprensa que a empresa começou a rodar em 1946. O ano de operação refere-se ao início das atividades segundo o Registro na Junta Comercial. Em 1966 passou a ter a denominação social de Viação Santa Cecília Ltda. Em 1972 foi incorporada a Expresso Timbira, pertecente ao mesmo grupo empresarial.", 
O registro de que a empresa começou a rodar em 1946 é o seguinte: "Embora as perspectivas começassem a alargar-se para todos que exploravam o ramo, para Manoel Ferreira de Azevedo o ciclo do transporte de cargas terminava em 1946, quando descobriu o seu caminho definitivo. Vendeu então seus dois caminhões e, com um ônibus Chevrolet do ano, começou nova vida, passando a transportar passageiros. Campo do Pio foi a primeira linha conquistada e também a que inspirou a fundação da Viação Santa Cecília Ltda: a progressão passou a fazer-se rapidamente, cada ano mais um novo ônibus era posto a serviço da população desse bairro de Fortaleza. Depois vieram as conquistas maiores.
Fundada em 1946, a Viação Santa Cecília Ltda, passou a ampliar a sua frota de ônibus de acordo com a necessidade da população a que servia. Do Campo do Pio, marco originário do seu ingresso no setor dos transportes urbanos, partiu Manoel Ferreira de Azevedo para uma etapa mais ampla de serviços à comunidade, e hoje, graças não somente aos seus esforços, como também de todos que com ele colaboram, possui a Viação Santa Cecília Ltda, nada menos de 64 ônibus Mercedes-Benz, sendo concessionária de 12 das principais linhas de coletivos de fortaleza." 

As linhas que naquele tempo eram exploradas pela Viação Santa Cecília eram estas:
Alto São Vicente / Centro (Fortaleza)
Amadeu Furtado / Centro (Fortaleza)
Antônio Bezerra (Fortaleza)
Campo do Pio (Fortaleza)
Circular Antônio Bezerra (Fortaleza)
Estação Antônio Bezerra / Centro (Fortaleza)
Granja Paraízo / Centro (Fortaleza)
Parque Americano / Centro (Fortaleza)
Parque Araxá / Centro (Fortaleza)
Parque Quitandinha / Centro (Fortaleza)
Paulo Sarasate / Centro
Porangabussu / Centro (Fortaleza)

Sob o ponto de vista administrativo, duas empresas do mesmo gênero e pertencentes a um só grupo, teria inevitavelmente de sobrecarregar os custos operacionais além de ocasionar a duplicidade do serviço contábil, daí o amadurecimento da ideia de fusão da Viação Santa Cecília Ltda e a Expresso Timbira Ltda, devendo prevalecer esta última razão social. Concretizado o acoplamento das duas empresas, abrir-se-ão as possibilidades de unificação dos setores administrativos, ganhando os trabalhos de modo geral maior flexibilidade.
Com a fusão em 1972, a Expresso Timbira Ltda, terá o seu capital elevado de Cr$ 69.000,00 para Cr$ 1.600.000,00 sendo integralizado da seguinte forma, acompanhe os dados da época da fusão:
Manoel Ferreira de Azevedo..........................................................Cr$ 39.000,00
Eng°. Francisco Ferreira de Azevedo............................................. 5.000,00
Renato de Azevedo Ferreira............................................................ 25.000,00
Viação Santa Cecília Ltda. ............................................................. 1.531.600,00
Total ...........................................Cr$ 1.600.000,0.

A partir de hoje a Viação Timbira fica para a história, podendo voltar um dia como aconteceu com a Viação Santa Cecilia. Já a Expresso Timbira Ltda, qua opera a linha 214-Estação Pio Saraiva, permanece operando normalmente com 6 carros, sendo 5 na linha e 1 reserva.

Fonte: MOB Ceará
Reeditado: 01/08/16


quarta-feira, 20 de abril de 2011

Novidade: Apache Vip 2 na empresa Vega


 Nossa redação recebeu das mãos do Jhordani Wilner "Zé Galinha" as fotos dos novos Apache Vip 2 da empresa Vega Transportes Urbanos S/A, são 4 carros equipados com a motorização MBB OF-1722 e estão disponiveis na numeração sequêncial de 132 ao 135.

 Com esta nova compra a empresa Vega, chega ao número de 35 carros comprados somente em 2011.

Em Joinville, funcionários da Busscar protestam contra um ano sem salários

Um ano sem pagamentos teve até bolo para lembrar a data
O bolo servido nesta terça-feira pelo sindicato dos mecânicos de Joinville e região ao cerca de 300 funcionários que, de acordo com a polícia militar, participaram do protesto em frente a sede da Busscar Ônibus S.A teve um gosto amargo para os trabalhadores: marcou um ano de salários atrasados.

O parabéns cantado sem ânimo e a timidez em pegar um pedaço revelavam o quanto os manifestantes não queriam estar sem pagamentos, enfrentando processos judiciais e precisando buscar outras formas de ganhar a vida.

Os motivos que levaram ao sabor desagradável que os cerca de 3,5 mil trabalhadores e ex-funcionários que tinham ou mantem relações trabalhistas com a empresa desde setembro de 2008, quando começou a atual crise financeira da fabricante de carrocerias, sentiram nesta terça foram detalhados em um documento entregue ao procurador do Ministério Público do Trabalho, Guilherme Kirtsching no início da semana.

A carta, assim como as que quase mensalmente são enviadas às assembleias realizadas pelo sindicato, não coloca um ponto final nos problemas econômicos. Mas desta vez, explica com mais detalhes o que levou ao cenário atual, no qual a empresa tem cerca de 1,4 mil funcionários, sendo apenas aproximadamente 200 na produção, além de dívidas milionárias.

Para o sindicato, as informações não trazem novidades em relação ao que já era de conhecimento dos trabalhadores. A expectativa é de que na próxima semana, o MPT faça uma nova solicitação de informações.

Este foi clicado ontem saindo da fábrica, estão prontos 4 DD's para Açai tur de Belém/PA, com novos chassis 8x2 da Volvo, sendo a 1º a receber este novo chassi
Atualmente, a Busscar produz algumas carrocerias para clientes que já anteciparam o pagamento e para Guatemala, sendo parte do material necessário financiado por dois bancos. A empresa também permanece oferecendo serviços de reposição de peças e assistência técnica, além de ter profissionais atuando no setor de RH.

A direção da Busscar não se manifestou sobre a crise
.

FONTE: Marina Andrade - Colaboradora direto de SC
 

segunda-feira, 18 de abril de 2011

Atrasos de ônibus no terminal do Siqueira provocam demissões e suspensões

Av. João Pessoa estava um caos com muita água
A costureira Ivani Ferreira Alves, 57, era uma das centenas de usuárias no terminal do Siqueira, na manhã desta segunda-feira (18), inconsolável com os atrasos e a superlotação dos ônibus. Apesar de assegurar ter chegado ao terminal por volta das 6h30min, ela somente conseguiu embarcar em um ônibus para a Parangaba uma hora depois.

Antes das 9h30min estava de volta ao Siqueira. Segundo a costureira, mais um atraso resultou em demissão da confecção. Entre as lágrimas, a indignação de um sistema não mais seguro para os mais de um milhão de usuários do transporte coletivo em Fortaleza.

Quem também voltou mais cedo para casa foi a confeiteira Maria de Jesus silva Pereira, 43, que trabalha em um Buffet no bairro São João do Tauape. De acordo com a confeiteira, moradora do Planalto Vitória, ela teria chegado às 7h30min ao terminal do Siqueira, mas foi avisada ainda no ônibus que estaria suspensa no trabalho, diante de mais um atraso. De acordo ainda com a confeiteira, ela teria que entrar às 9 horas no Buffet, mas a superlotação no terminal permitiu que ela somente entrasse no ônibus por volta das 8h45min.

 

Passageiros são prejudicados pelas longas filas
Já o auxiliar de aeroporto Antônio Márcio Ferreira da Silva, 29, morador da Granja Portugal, disse que não tem mais como justificar tantos atrasos aos seus supervisores. Segundo o auxiliar, ele sempre chega ao terminal com mais de uma de antecedência para o trabalho, mas quase sempre não consegue cumprir o horário de entrada do expediente.



 

Fiscais de linha no terminal do Siqueira afirmaram que as chuvas desta segunda-feira e o grande engarrafamento nas primeiras horas da manhã, na avenida Osório de Paiva, agravaram o movimento dos ônibus.

Fonte: Blog do Eliomar

Mais de 216 mil carteiras de estudantes já foram liberadas, diz Etufor

Em março, teve início o processo de distribuição dos novos documentos de identificação estudantil
Mais de 216 mil carteiras da rede pública e particular de ensino já foram entregues às entidades desde março deste ano, afirma a Empresa de Transporte Urbano de Fortaleza (Etufor). Em março, teve início o processo de distribuição dos novos documentos de identificação estudantil.

De acordo com a Etufor, muitos cartões já estão confeccionados à espera somente da confirmação da matrícula dos estudantes para serem desbloqueados e, posteriormente, entregues às entidades estudantis, responsáveis pela distribuição. A Etufor afirma que, para agilizar essa entrega, é necessário que a direção das escolas e universidades confirme as matrículas dos seus alunos no site do órgão (www.etufor.ce.gov.br), com o máximo de urgência possível.

A nova carteira de estudante começa a valer no dia 1° de maio deste ano para alunos veteranos, que terão o documento desbloqueado automaticamente na referida data no próprio validador do ônibus ou van. Já os novatos, que não possuíam o documento antigo, poderão utilizá-lo assim que receber. Estudantes que fizeram a solicitação previamente e cujas matrículas foram devidamente confirmadas devem aguardar o recebimento das carteiras na própria instituição de ensino, segundo a Etufor.

domingo, 17 de abril de 2011

As miniaturas de Serbus

Clientes Felizes
É com muito orgulho que faço esta matéria sobre o Serbus, na verdade o nome deste grande homem é Sérgio Maciel, e fabrica miniaturas há quase duas décadas. 

É um trabalho árduo e complicado mas que no final traz bastante satisfação tanto ao comprador e para ele, que ao ver a miniatura feita tem alegria de mais uma missão cumprida.
As miniaturas de Sérgio no princípio eram feitas de forma bastante artesanal e era usado material como latas de óleo vegetal(aquele de cozinha) e pintados a mão livre. Hoje em dia o material já é metal de origem virgem, a madeira de ótima qualidade, as rodas são emborrachadas sendo assim de uso para qualquer tipo de terreno e a pintura é feita com pistola através de um compressor doado pelo dono da empresa Vitória, na qual Sérgio trabalhou na função de fiscal por por mais de 15 anos.
Miniaturas da Mrw Tur









O seu trabalho é reconhecido nacionalmente por vários admiradores de ônibus, recebe encomendas dos estados da Bahia, Pernambuco, Minas Gerais, São Paulo e Brasilia, sendo estas enviadas através de correios ou sedex(a pedido do cliente).
Lembramos que o Sérgio trabalha fabricando modelos atuais e aqueles modelos que já ficaram no passado, além de dedicar um pouco do seu talento aos caminhões. 


E se você ligar para encomendar uma miniatura ao Sérgio e falar que viu esta matéria ganhará um super desconto em sua miniatura, então aproveite e ligue para o Sérgio, e faça sua encomenda ligando para 85-8832-7534 ou mande um e-mail para: [email protected] aproveite e visite o profile Serbus no orkut.

Agradeçemos ao Sérgio Maciel por todo esse longo tempo se dedicar a busologia e fazer deste hobby uma forma de trabalho, você é um guerreiro, um abraço dos amigos do MOB.

sábado, 16 de abril de 2011

Semana repleta de novos carros

 Caros amigos, essa semana está sendo repleta de novidade de carros 2011 para o transporte urbano de Fortaleza, alguns carros 2011 da Vega S/A, já começaram a rodar como o 35115, 35131, 35128 entre outros.
















 Já outras empresas estão aguardando seus veiculos chegaram com a empresa São José de Ribamar, que espera o 10153, é um Marcopolo Viale equipado com motor MBB OF 1722. Como já era de se esperar a carroçeria é a mesmo que ao longo de vários anos consecultivos ela vem comprando, nas palavras do Wander um dos execultivos da Ribamar: " A Ribamar só compra o que é bom, por isso compra Viale que é produzida na fábrica do RS e por isso tem mais qualidade."
A empresa Aliança S/A, também espera a chegada de seus novos carros, são 3 Torino equipados com motor MBB OF-1722
































Já a empresa São José, nos surpreendeu por comprar Caio Apache Vip 2, eles são equipados com motor MBBOF-1722

terça-feira, 12 de abril de 2011

Empresa Linhares não está mais na linha Reriutaba à Tianguá

Há cerca de dois meses que a única empresa de ônibus de Reriutaba, que há décadas fazia a linha Reriutaba à Tianguá, não está trafegando mais. Segundo informações de populares, a empresa Linhares foi impedida de trafegar depois que foi criada uma Cooperativa de Transportes Alternativos que faz linha na região e, os ônibus não se enquadravam nas exigencias das leis de transito.
Nisso quem perde são os passageiros, que não tem transporte na hora certa e nem como ir direto para Tianguá por um preço bem menor do que os cobrados pelas vans e ainda tem que pegar dois ou mais transportes até aquela cidade.
Segundo um funcionário da empresa, a Linhares está lutando para conseguir de volta o direito de trafegar na linha.
As últimas informações dão conta de que tem apenas um ônibus transportando passageiros do centro de Reriutaba ao distrito de Amanaiara, no turno da manhã.
Esperamos que a empresa Linhares regularize sua situação, renove sua frota de ônibus e volte a transportar passageiros, que com certeza tem muita gente precisando dos seus serviços. “Neste mundo tem espaço para todos”.

 Fonte: Reriutaba Notícias

O alto custo do conforto

Plataformas superlotadas e filas conturbadas afastam usuários do transporte coletivo dos terminais de ônibus de Fortaleza. A parada mais próxima exige o pagamento de outra passagem, mas oferece maior tranquilidade.

O relógio marca 6h30min de terça-feira. Parada de ônibus em frente à Igreja do Parque São José, próximo ao terminal do Siqueira, aglomera dezenas de pessoas. São usuários do transporte coletivo urbano, fugidos das plataformas lotadas do Siqueira. Pessoas em situação semelhante existem em, pelo menos, quatro dos sete terminais da Capital. O POVO visitou arredores do centros de transporte coletivo da Parangaba, Messejana, Antônio Bezerra e Siqueira. Das 6h30min às 7h30min, paradas próximas com linhas em direção ao Centro ou à Aldeota estão abarrotadas.

Motivos para o gasto extra se repetem nos discursos: desorganização nas filas, atrasos no trabalho ou na faculdade e mesmo acidentes em decorrência dos empurrões. O servidor geral Itamar Silva, 45, pratica a arte de evitar o terminal da Parangaba há três anos. Caminha até a avenida João Pessoa, com bastante companhia, e se junta à espera da parada. “Até já caí por causa dos empurrões na fila (do terminal). O joelho inchou. Não é certo, aquela confusão”, lamenta reticente Itamar.


Os terminais de ônibus fortalezenses começaram a ser inaugurados em julho de 1992. À época, ofertavam pontos de convergência entre 128 linhas de transporte coletivo urbano. Dezenove anos e nenhuma ampliação física depois, os sete terminais juntos convergem 252 linhas abarrotadas nas mesmas plataformas do início. Em fevereiro deste ano, foram 986.165 idas e vindas diárias envolvendo os centros de transporte coletivo.

O POVO questionou à Empresa de Transporte Urbano de Fortaleza (Etufor) quantas viagens ocorrem durante os horários de pico - entre 5h e 8 horas, entre 17h e 20 horas -, porém o órgão não soube informar.



No limite
O fenômeno dos fujões de terminal é conhecido da Etufor, embora o órgão não saiba quantificá-lo. “É opção do usuário. O Sistema (Integrado de Transporte) oferece opção mais em conta, quem paga a segunda passagem paga pelo conforto”, contesta diretor-presidente da Etufor, Ademar Gondim.

O professor do Departamento de Engenharia de Transportes da Universidade Federal do Ceará, Mário Azevedo, tem visão um tanto distinta: “Se não chegaram, os terminais de Fortaleza estão muitos próximos de chegar à capacidade limite. Quando a pessoa sai do terminal para procurar a parada do lado de fora, mais vaga, ela dobra o próprio gasto para tentar solucionar o problema. Mas, nesse caso, a solução é individual”, atesta. Solução individual, problema coletivo.
Os sete terminais de ônibus fortalezenses foram criados na década de 1990 para interligar as seis Regionais da Capital e diminuir tempo e custo do transporte coletivo. Quase vinte anos e nenhuma ampliação depois, esses locais sofrem com superlotação de linhas e de passageiros.

OS CIDADÃOS
Os três passageiros se disseram insatisfeitos e deram notas para os terminais que frequentam:

NOTA 2 (Messejana)

Homem que é homem
Henrique ganha passagem extra da empresa para sair do terminal da Messejana e embarcar em outro ônibus. “Se não, chego atrasado e estressado demais. Se homem que é homem não consegue subir, avalie como é horrível!”.
Henrique Albuquerque, 38 anos, caixa

NOTA 3 (Siqueira)

Vá de táxi!
Cíntia se arrisca na pista da avenida Osório de Paiva para não correr risco de perder a oportunidade de ir sentada. “É o jeito”. A segunda passagem, paga do próprio bolso. “Dia desses, o motorista reclamou: ‘Quer conforto, vá de táxi!’”.
Cintia Ribeiro, 22 anos, atendente de telemarketing

NOTA 6 (Parangaba)

Desrespeito
“Não posso estar satisfeita com o serviço. Atrasos, paradas queimadas, desorganização nas filas...”, sentencia Andréia. Toda manhã, a moça sai do terminal da Parangaba para parada com direção à Aldeota.Andréia Gurgel, 26 anos, auxiliar administrativa

PIORES LINHAS

Terminal do Ant. Bezerra
(052) Grande Circular 02
(026) Antônio Bezerra/Messejana
(028) Antônio Bezerra/Papicu
(079) Antônio Bezerra/Náutico

Terminal do Conj. Ceará
(076) Conjunto Ceará/Aldeota
(045) Conjunto Ceará/Papicu (via Montese)

Terminal da Lagoa
(024) Antônio Bezerra/Lagoa/Unifor
(025) Lagoa/Opaia
(069) Lagoa/Papicu
(085) Lagoa/Aldeota/Av. José Bastos

(067) Lagoa/Albert Sabin

Terminal Papicu
(027) Siqueira/Papicu (via Aeroporto)
(052) Grande Circular 02
(810) Papicu/Praia do Futuro
(841) HGF/Papicu
(832) Papicu/Cidade 2000
(804) Aldeota

Terminal de Messejana
(650) Messejana/Centro/Br. nova/Expresso
(053) Messejana/Papicu (via Washington Soares)
(026) Antônio Bezerra/Messejana

Terminal da Parangaba
(072) Antônio Bezerra/Parangaba
(044) Parangaba/Papicu(via Montese)

(038) Parangaba/Papicu (via Santos Dumont)
(077) Parangaba/Mucuripe
(029) Parangaba/Náutico

Terminal do Siqueira
(051) Grande Circular 01
(073) Siqueira/Mucuripe
(355) Siqueira/Av. José Bastos
(050) Siqueira/Papicu (via Washington Soares)'

Fonte: Janaína Brás

Tarifa social no aniversário da cidade

Clique para ampliar e conferir a programação
Na data em que Fortaleza completa 285 anos, a passagem de ônibus e vans da cidade cai para R$ 1,40 (inteira) e R$ 0,70 (meia). A Tarifa Social, que também vigora todos os domingos, nos dias 31 de dezembro e primeiro de janeiro, amplia o acesso da população à cultura e ao lazer.


Além do benefício, a frota de 1.755 ônibus, acrescida de coletivos extras, estará operando normalmente para fazer o deslocamento dos cidadãos ao Aterrinho da Praia de Iracema, onde acontecerá o show da artista baiana Daniela Mercury.


No dia 13 de Abril, uma equipe composta por dez agentes da Empresa de Transporte Urbano de Fortaleza (Etufor) organizará o embarque e desembarque de passageiros nas paradas de ônibus situadas no entorno do evento. Tudo para garantir mais segurança na operação desses coletivos durante a festa.


Como parte das comemorações, aqueles que costumam passar pelos terminais de integração poderão conferir apresentação de clowns (palhaços), duplas de repentistas e grupos de coral, de 6h30 às 8h30 e de 17h30 às 19h30.


Linhas que trafegam na Av. Historiador Raimundo Girão (próximo ao Aterrinho):

Ônibus
(011) Circular 1

(012) Circular 2

(016) Cuca Barra/Papicu

(017) Aldeota/Centro I

(033) Corujão/Circular I

(049) Caça e Pesca/Centro/Beira Mar

(051) Grande Circular I

(052) Grande Circular II

(054) Corujão/Praia do Futuro/Caça e Pesca

(055) Corujão/Grande Circular I

(056) Corujão/Grande Circular II

(071) Antônio Bezerra/Mucuripe

(073) Siqueira/Praia de Iracema

(077) Parangaba/Mucuripe

(078) Siqueira/Mucuripe

(092) Antônio Bezerra/Papicu/Praia de Iracema

(905) Meireles

(906) Caça e Pesca/Serviluz/Centro

(907) Castelo Encantado/Centro

(945) Antônio Bezerra/Mucuripe/Papicu
 
Sistema Complementar
(11) Barra do Ceará/Cais do Porto

(52) Caça e Pesca/Centro

Empresa de ônibus muda rota para fugir de buracos na BR-222

A viação Expresso Guanabara suspendeu as operações entre as cidades de Fortaleza e Sobral, pela BR-222. A empresa alega que por conta das condições da rodovia não há como garantir a segurança dos passageiros e funcionários. Todas as viagens que eram feitas por este trecho foram transferidas para a rodovia Estruturante, passando pelo município de Itapipoca. De acordo com a Guanabara, a mudança vai vigorar até que a BR-222 tenha novamente condição de tráfego.

segunda-feira, 11 de abril de 2011

Licitação de linhas federais

Segue na estrada o processo licitatório da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) para mais de duas mil linhas de ônibus. A grande maioria das concessões das linhas federais se encerrou em dezembro de 2008. O primeiro projeto da ANTT para a licitação foi suspenso em 2010 por inúmeros erros de dimensionamento e falta de consistência nos dados utilizados. Desta vez, a Agência dispõe da consultoria da Fipe e da PWC para elaboração do projeto da nova rede de linhas, levantamento de custos, modelagem e critérios do edital.

As empresas comemoram. Dizem que pela primeira vez estão sendo ouvidas e convidadas para algumas reuniões. A participação se dá não individualmente, mas por meio da Associação que dirige o lobby do setor, a Abrati. Não é mesmo fácil redesenhar o mapa das concessões. Existe um alto risco envolvido. No dizer do diretor-executivo da Expresso Guanabara, Paulo Porto Lima (foto): “A licitação altera um sistema que se organizou em 60 anos e que não há similaridade no mundo”. Segundo ele, a última pesquisa encomendada pela Abrati ao Vox Populi, e entregue à Agência, aponta avaliação positiva acima de 80%. A pesquisa é um dos trunfos das empresas.

E é mesmo curiosa a situação do transporte rodoviário no Brasil. Ao tempo em que o aumento do acesso às viagens aéreas é visto como indício de distribuição de renda – em grande medida alimentado por isenções fiscais que voam muito acima dos ônibus (só atendem às companhias aéreas) – as empresas precisam recorrer à criatividade para não atolar. O caso da Guanabara: “Enfrentamos essa realidade priorizando as ligações mais imunes à operação aérea. Há alguns anos priorizamos ligações de interior para capital e de interior para interior”, revela Paulo Porto.


GRUPO ESTÁ ENTRE OS 3 DO PAÍS
Com a compra da Real Expresso (empresa de transporte rodoviário como a Guanabara) em Brasília o grupo subiu no pódio. Está entre os três maiores grupos do setor. Hoje, o esforço da companhia é pela integração da gestão e da operação das três empresas rodoviárias do grupo (Guanabara, Útil e Real Expresso). O trabalho é comandado a partir da sede em Fortaleza, na BR-116. Em todo caso, o centro de treinamento de operação manutenção ficará em Brasília. Em tempo: a licitação federal interessa muito à empresa, afinal, representa 60% das linhas.

domingo, 10 de abril de 2011

Grandes mudanças dia 11/04

A partir de segunda-feira novas linhas de ônibus começam a circular em Fortaleza. As atuais linhas Santos Dumont e Bezerra de Menezes passam a formar uma só, a Bezerra de Menezes/Santos Dumont. Além disso, no Centro, deixa de existir a Antônio Bezerra/Centro e surge a Bezerra de Menezes/Coração de Jesus, que só funcionará nos horários de pico.

De acordo com a Empresa de Transporte Urbano de Fortaleza (Etufor), as duas mudanças visam ampliar o atendimento aos usuários. O chefe da Divisão de Operações da Empresa, Raimundo Rodrigues, explica que as linhas Bezerra de Menezes (linha número 200) e Avenida Santos Dumont (nº 850) fazem percursos que terminam em pontos próximos.

Por isso, uni-las foi uma solução para agilizar o atendimento. “Hoje temos uma questão de dois polos comerciais na cidade, a Bezerra de Menezes e a Santos Dumont, que não têm ligação direta. O passageiro tem que descer no Centro e pegar outro veículo”, diz. “A ideia é dar opção para agilizar ida aos dois centros comerciais, além de aproximar os dois terminais”, afirma Raimundo Rodrigues.

Ele lembra que existe uma linha que já faz a ligação entre os dois terminais, a Antônio Bezerra/Papicu/Via Francisco Sá, criada após o fim da Paranjana. Porém, como o próprio nome indica, ela não segue pela avenida Bezerra de Menezes.

Usuários da linha Santos Dumont encontrados pelo OPOVO na tarde de ontem, no Terminal do Papicu, acreditam que a mudança deve trazer benefícios. “É positiva porque deve ser uma opção a mais”, comenta o professor universitário Marcelo Ximenes, 32. Marcelo teme apenas que o número de veículos atendendo à nova linha fique reduzido. Raimundo Rodrigues explica que a frota será de 23 ônibus, o somatório entre o existente nas duas linhas atuais.

Na tarde de ontem, funcionários do Sindiônibus distribuíam informativo sobre a mudança. Os usuários estão sendo informados ainda por cartazes colocados nos coletivos. A nova linha vai operar de segunda à sábado. Aos domingos, a linha Bezerra de Menezes continuará operando normalmente.

Mudança no Centro
Outra linha que mudará a partir de segunda-feira é a Antônio Bezerra/Centro (251). Além de ter o percurso prolongado, seguindo até a praça Coração de Jesus, os ônibus circularão apenas no horário de pico, das 5 às 9h e das 16 às 20h, e a linha passa a se chamar Bezerra de Menezes/Coração de Jesus. “A linha vai agilizar o fluxo de usuários do Antônio Bezerra para a (praça) Coração de Jesus, que é um trecho muito carregado”, afirma Raimundo Rodrigues, chefe da Divisão de Operações da Etufor.

Passam também pelo trecho a Antônio Bezerra/Messejana (026) e a Antônio Bezerra/Papicu (028). Elas devem ser desafogadas, garante Raimundo. “Vai ser uma linha mais curta. O número de viagens será maior, o que vai fazer com que o usuário tenha um pouco mais de conforto”, destaca.

Tradutor