REDES:

_

Brasileiro 5045: um raro G6 Volvo que operou no intermunicipal cearense Sistema urbano de Fortaleza com 100% da frota acessível Expresso Cabral comemora 65 anos com renovação de frota Vega Manaus já passa de 160 ônibus e recebe 4 Marcopolo 0km Prime Plus recebe o MOB Ceará pela primeira vez Expresso Tur apresenta seus rodoviários ao MOB Ceará

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

sábado, 24 de setembro de 2022

Sistema urbano e metropolitano de Fortaleza tiveram chassis Fiat

Muitos não sabiam, até pela ausência de fotografias, mas o sistema urbano de Fortaleza já possuiu ônibus com motorização fabricada pela Fiat.

Foto ilustrativa
A Irmãos Bezerra teve 2 Caio Gabriela com essa mecânica. Os veículos, segundo admiradores do transporte mais antigos, tinham os prefixos 07 e 08. Um deles, inclusive, foi vendido para a Nossa Senhora de Fátima, segundo um dos filhos de Raul Ribeiro. Ao ser comprado, o ônibus que ganhou o prefixo 67 teve a mecânica substituída pela da Mercedes-Benz, ficando apenas as longarinas da Fiat no veículo. Não se sabe para quem foi vendido o outro Caio Gabriela da Irmãos Bezerra.

Foto ilustrativa
Redação: Narcisio Santos

sexta-feira, 23 de setembro de 2022

03202 e 03203 - os primeiros eletrônicos da Timbira

Em 2002, a Expresso Timbira adquiriu seus 2 primeiros ônibus com injeção eletrônica, que foram enumerados de 03202 e 03203, e escalados nas linhas 011 e 012-Circular 1 e 2.


Os carros foram também os únicos de sua história com chassi Mercedes-Benz OF-1417, pois a família Azevedo passou 4 anos sem comprar leves eletrônicos e, quando renovou em 2006, o chassi já havia sido atualizado para o OF-1418. Os 03202 e 203 chegaram a passar um tempo cadastrado na razão social Viação Timbira, voltando a Expresso Timbira em meados de 2009, rodando até 2012, sendo sido cadastrados por último como Viação Santa Cecília.



Redação: Narcisio Santos

quinta-feira, 22 de setembro de 2022

Linha do dia: 855 - Bezerra de Menezes/Washington Soares

Em mais uma edição do quadro que traz curiosidades sobre as linhas de ônibus, o MOB Ceará te conta a história de uma das maiores e mais importantes linhas da capital.


Criada em 03/10/2014, a linha 855 - Bezerra de Menezes/Washington Soares surgiu para substituir as linhas que na época se denominavam 706 - Edson Queiroz/Barra do Ceará e 755 - Conjunto Alvorada/North Shopping, que tinham uma grande demanda por passar pelas principais vias de Fortaleza, como as avenidas Bezerra de Menezes, 13 de Maio e Pontes Vieira. Essas linhas eram operadas por topiques da Cootraps, e depois da mudança tiveram o itinerário reduzido, vindo a 706 a se tornar Barra do Ceará/Antônio Bezerra (até hoje), e a 755 se tornar Conjunto Alvorada/Unifor. Esse trecho entre Antônio Bezerra e Unifor passou a ser feito pela linha 855, operada por ônibus grandes, beneficiando os passageiros na época.


No início das operações, a 855 contava com uma frota de 10 veículos, distribuídos num intervalo de 15 minutos. As empresas que estrearam nela foram:

São José (2 tabelas)

Santa Maria (2 tabelas)

Aliança (1 tabela)

Santa Cecília (2 tabelas)

Vega (2 tabelas)

Terra Luz (1 tabela)

A Via Urbana só veio entrar na linha no início de 2015. Entre idas e vindas, diversas empresas entraram e saíram, ganharam e perderam tabelas, até que em 2016, apenas Santa Maria e Via Urbana restaram na operação da linha, o que permanece até hoje.


A linha 755, na época chamada Conjunto Alvorada/Unifor, e depois, por um curto período de tempo, ainda mudou para Conjunto Alvorada/Iguatemi, apresentava uma baixíssima demanda, devido o seu curto trajeto. Eram 4 tabelas, divididas entre as empresas Viação Fortaleza e Via Urbana. Enfim, no dia 04/04/2016, a ETUFOR decidiu por retornar a linha 755 para seu itinerário antigo, fazendo a Cootraps reassumir as tabelas, e seu itinerário até o North Shopping. Mesmo assim, a linha 855 continuou suas operações e o trecho entre North Shopping e Unifor passou a ficar ainda mais assistido, com 2 linhas fazendo quase que o mesmo itinerário.


Em 25/06/2016, aconteceu a principal mudança na linha 855, que fez com que ela se tornasse uma das maiores linhas de Fortaleza até hoje: no que antes seu ponto final era nas proximidades do Fórum Clóvis Beviláqua, a rota foi estendida até o bairro Lagoa Redonda, passando em um trecho maior da Av. Washington Soares, além de atender também as avenidas Maestro Lisboa, Odilon Guimarães e Professor José Arthur de Carvalho. Com isso, a linha ganhou mais 4 carros (2 da Santa Maria e 2 da Via Urbana).


Atualmente, a linha é servida por 18 tabelas aos dias úteis, 12 aos sábados e 4 aos domingos, distribuídas entre Santa Maria e Via Urbana.


Redação: Lucas Fernando

quarta-feira, 21 de setembro de 2022

Itapemirim e Kaissara têm falência decretada e Suzantur é autorizada a operar linhas

O juiz João Oliveira Rodrigues Filho, do Tribunal de Justiça de São Paulo atendeu a administradora judicial EXM Partners e decretou nesta quarta-feira, 21 de setembro de 2022, a falência das empresas do Grupo Itapemirim. Trata-se de primeira instância, cabendo recurso. A decisão não envolve a empresa aérea.


Na decisão, o juiz levou em conta as suspeitas de desvios de dinheiro durante a gestão da Itapemirim, o envio de R$ 45 milhões das empresas de ônibus para a empresa ITA – Transportes Aéreos criada pro Sidnei Piva, a dívida de mais de R$ 2 bilhões em tributos e ilegalidades insanáveis no Plano de Recuperação Judicial. A decisão também permite o arrendamento das linhas da Kaissara e da Itapemirim, além de estruturas por 12 meses para a Suzantur, empresa que opera ônibus urbanos no ABC Paulista e em São Carlos (SP). O prazo pode ser prorrogado por mais 12 meses. A empresa é administrada por Claudinei Blogialto.

Texto: Adamo Bazani (Diário do Transporte)
Colaboração: Arthur Ferrari

Conheça os carros únicos de cada empresa do sistema

Nesta matéria, o MOB Ceará traz à você leitor uma curiosidade sobre os veículos que possuem uma configuração única na frota de suas respectivas empresas do transporte fortalezense. Em algumas empresas estão citados mais de um veículo, porém o objetivo aqui é listar os ônibus que se destacam por serem singulares, pelo menos em algum detalhe.



Viação Fortaleza

02819: A curiosidade desse veículo fica pelo fato de ser o único batizado como "Torino S", antes da Marcopolo fazer dessa a linha definitiva para o modelo Torino, substituindo assim o que era até então Torino 2014.


02916: Este veículo possui a mesma configuração do 02819, contudo ele se destaca por ser o único da empresa a possuir câmbio automático.



São José

12913: Depois de um "vácuo" de 7 anos, em 2019 a São José voltou a adquirir Marcopolo, escolhendo assim o Torino montado sob o chassi OF-1721L com câmbio automático.



Siará Grande

14605: Com carroceria Neobus Mega Plus e chassi OF-1724L, é o único veículo de 5 portas da empresa.


14705: "Figurinha" única da frota da Siara Grande. Foi o primeiro ônibus de categoria leve com ar condicionado da empresa. Se torna ainda mais exclusivo se levarmos em conta que é o único Caio Apache Vip IV da companhia até o momento.



Santa Maria

20960: Pra quem tem saudade do Caio Apache S22, pode apreciar o 20960 da Santa Maria, o único desse modelo ainda existente em Fortaleza, após seus "irmãos" serem retirados de circulação.


20592: Se destaca por ser o único veículo automatizado da frota (V-Tronic) até então. Ao chegar em 2015, seus "irmãos" também tinham configuração semelhante, porém a empresa optou por instalar o câmbio manual nos mesmos.



Aliança

21907: Único Mascarello Gran Via Midi de todo o sistema, que é montado sobre o chassi Mercedes-Benz OF-1418.


21017: Recém-reativado pela empresa, é o único Mascarello GranVia Midi com chassi Volkswagen 17-230 EOD do sistema.


21101: Único Caio Apache Vip montado sobre o chassi 17.230 EOD da Volkswagen. Além de ser o único da empresa, também é o único do sistema.


21811: Também único do sistema, Mascarello Gran Via versão 2014 com chassi Mercedes-Benz. Em Fortaleza, todos os demais ônibus desse modelo possuem ou chassi Volkswagen ou Volvo.



Maraponga

26413: Não é o único Vip III, nem o único 17.230 OD da frota, mas quando se trata da combinação Vip III com chassi 17.230 OD, então o 26413 se torna excepcional.



Via Urbana

30336: Adquirido em 2013, foi o primeiro e único Torino, de versão 2007, com chassi OF-1724L, e logo depois, tal chassi se tornou um sucesso de vendas.


30417: Em uma frota repleta de Caio e Marcopolo, o 30417 é o único Neobus da Via Urbana. Ele possui o chassi Mercedes-Benz OF-1721.


30910: Apesar de a Via Urbana não possuir mais linhas que param em estações do BRT, o 30910 continua firme e forte, efetivo na linha 053 - Messejana/Papicu/Washington Soares. O veículo é o único da empresa com a configuração de 5 portas.


30916: Caio Apache Vip IV montado sobre o chassi OF-1721L, é o único carro da empresa com câmbio automático.



Vega

35025: A Vega trouxe em 2020 um Caio Apache Vip IV montado sob o chassi OF-1721L com câmbio Alisson automático.



Santa Cecília

36400: O primeiro e, atualmente, único articulado da cidade, é um Mascarello Granmetro Volvo B340M, que mesmo quando os demais articulados ainda operavam no sistema, ainda tinha um diferencial: único veículo equipado com motor central.


36600: Recém-adquirido da Maraponga, o ex-26600 é o primeiro e único Torino 2014 da frota da Santa Cecília.


Dragão do Mar

42914: A Dragão do Mar foi outra empresa que decidiu apostar novamente no Torino remodelado para montá-lo sob o chassi OF-1721L com câmbio Alisson automático.


Redação: Lucas Fernando/Gabriel Esteves

terça-feira, 20 de setembro de 2022

Média de combustível é crucial para a sobrevivência das empresas de ônibus

Nunca foi tão preocupante na história do transporte o desempenho dos motoristas de ônibus em relação a sua operação com o veículo.


No passado, quando as companhias possuíam margens obesas de lucro, raras eram as que se preocupavam com o assunto, pois o custo com combustível em relação aos outros da cadeia de manutenção da frota não era tão significativo como vem sendo nos tempos atuais.

No passado, as empresas eram oneradas com uma enorme evasão de renda, o que diminuiu nos tempos atuais, tinham veículos menos eficientes mas mesmo assim construiram patrimônios e expandiram negócios paralelos, embora houve quem mesmo assim por questões familiares e de gestão acabaram quebrando.

O MOB Ceará mostra, através de um comparativo, o quanto faz a diferença entre um motorista que trabalha disciplinado com as recomendações de seus instrutores e quem dirige sem focar na economia de óleo diesel.

Exemplo

Uma rota de linha urbana onde um ônibus com o chassi Volkswagen 17-230 OD rode 120km por dia e os motoristas consigam fazer os seguintes resultados, considerando o valor do litro a R$ 6,30

Média 2,2km/L custo R$ 343 (8918/mês)
Média 3,2km/L custo R$ 236 (6,142/mês)
Diferença R$107/dia (26 dias = R$2776)

Se o ônibus operar 26 vezes por mês na mesma tabela sem sair do mesmo par de motoristas, no comparativo, a diferença entre um e outro chegaria próximo de R$2,776, o que daria para comprar um pneu novo todo mês, ou mesmo o custeio dos impostos de um funcionário com carteira assinada. Multiplicando isso em uma frota com 120 ônibus já é mais da metade do preço de um ônibus novo à vista.


Vale ressaltar que o exemplo numérico que o MOB Ceará citou acima é apenas estimativo, uma vez que não se sabe o valor real do litro comprado pelas empresas e a diferença de consumo, na maioria dos casos, é bem mais distante do que 1 km/L.

Redação: Narcisio Santos