Destaques no MOB Ceará

sábado, 6 de fevereiro de 2016

Os primeiros Busscar: Lançamento dos El Buss e Jum Buss em 1990

A missão não era fácil. Depois do grande sucesso da Nielson com a linha Diplomata, havia chegado a hora de inovar.
Em 1990 a Busscar apresentava seus novos modelos de ônibus El Buss e Jum Buss. Acervo: Tadeu Carnevalli.
Em uma fase de reformulação total – a começar pela própria marca, onde o familiar nome Nielson abria espaço ao “globalizado” Busscar, a encarroçadora de Joinville apresentava no ano de 1990 seus novos ônibus rodoviários.
A apresentação dos rodoviários El Buss e Jum Buss foi um marco no design dos ônibus brasileiros. Enquanto o interior ainda apresentava vários traços do seu antecessor, o Diplomata, inclusive compartilhando algumas peças, o design exterior trouxe novas tendências que vieram influenciar o projeto de praticamente todos os modelos de carrocerias lançados no Brasil durante os anos 1990.
Os faróis dianteiros foram posicionados mais acima e não eram mais uma parte dos para-choques, evitando as frequentes quebras das vidros das lentes por causa de pedras ou pequenas batidas.
Na linha Jum Buss, o motorista tinha melhor posição para dirigir, ficando mais perto do solo e não mais tão alto quanto no antigo Diplomata 350. O rebaixamento da altura do posto do motorista foi uma tendência durante os anos 1990, até o surgimento dos modelos LD – Low Driver, com o motorista posicionado na cabine abaixo do salão de passageiros. No entanto, para os frotistas mais conservadores, foi mantido até o ano de 1993 o El Buss 360, rodoviário com a mesma altura do Jum Buss 360, mas com o posto de motorista em posição mais elevada e compatível com motorização dianteira.
No interior da primeira geração da Busscar era comum encontrar peças com a marca “Nielson”. Clique na imagem para ampliar.
No segmento de alto padrão, o Jum Buss 380 foi o substituto do emblemático Diplomata 380. Com linhas mais discretas e harmoniosas, era menos imponente que seu antecessor e muitas vezes podia ser confundido com um Jum Buss 360.

Concorrência

Dos anos 1970 até o final dos anos 2000, a concorrência entre Nielson/Busscar e Marcopolo foi bastante acirrada. Com o sucesso das linhas Diplomata e El Buss/Jum Buss, a encarroçadora catarinense levou certa vantagem nos anos 1980 e 1990. Uma prova são os lançamentos de novos modelos sempre antes que a concorrente.
Durante a década de 1970 a linha Diplomata foi referência entre os ônibus rodoviários e pouco foi ameaçada pelo modelo Marcopolo III. No final dos anos 1970, surgiam os modelos série 2.40/2.50/2.60 da família Diplomata, que já indicavam a tendência das linhas da carroceria para a década seguinte.
Em 1983, a Marcopolo apresentou os primeiros modelos da Geração IV, que visava desbancar o campeão de vendas Diplomata. Os modelos Viaggio e Paradiso da quarta geração da Marcopolo traziam faróis no para-choque, tal como o modelo da Nielson, que no ano seguinte (1984) passou por uma nova reformulação que o deixou um pouco mais arredondado (série 310/330/350/380).
Em 1990, com a linha El Buss/Jum Buss, novamente a Busscar se antecipou e trouxe uma nova tendência para o mercado, obrigando a Marcopolo a aposentar sua quarta geração e lançar, em 1992, a geração número cinco (linha GV).


Em meados da década de 1990 houve um equilíbrio de forças. Em 2000 a Marcopolo se antecipou e lançou a sua sexta geração, totalmente reformulada em relação à quinta, que fez grande sucesso e conquistou muitos clientes. Alguns meses depois, já no ano seguinte, era a vez da Busscar apresentar a linha El Buss/Jum Buss/Vissta Buss remodelada.
O equilíbrio de forças chegou ao final com as diversas crises econômicas da Busscar. Apesar de ter um produto ainda competitivo e contar com uma grande carteira de clientes dentro e fora do Brasil, a empresa catarinense viu suas dívidas aumentarem e foi obrigada a fechar as portas após ter sua falência decretada em setembro de 2012.
Fonte: Blog Ônibus Brasil

Linha Grande Circular recebe 11 ônibus climatizados

A Viação Santa Cecilia escalou 11 ônibus climatizados nas linhas 051 e 052-Grande Circular 1 e 2.

A empresa que renovou sua frota no inicio deste ano, alterou sua escala operacional e efetivou todos os seus climatizados alongados adquiridos no ano passado para rodar nas duas linhas mais populares de Fortaleza. Os veículos possuem 13,20 de comprimento e representam cerca de 31% da frota total das duas linhas.

Devido a Santa Cecília deter a segunda maior parte dos ônibus das linhas, a probabilidade dos passageiros viajarem em um ônibus mais confortável é grande, principalmente devido a maioria das tabelas de horários da empresa rodarem o dia todo, sem recolher após o horário de pico. A escala ficou da seguinte forma:

051-Grande Circular 1
Carros: 36507, 36508, 36509 36510 e 36511. 

052-Grande Circular 2
Carros: 36501, 36502, 36503, 36504, 36505 e 36506.



Fonte: MOB Ceará

sexta-feira, 5 de fevereiro de 2016

COOTRAPS volta a operar nas linhas 367/368 e 639

A COOTRAPS voltou a operar nas linhas 367/368- Conjunto Ceará/Bom Jardim e 639-Planalto Coaçu/Messejana há alguns dias.

A cooperativa está retomando a posse de algumas linhas alimentadoras que haviam sido trocadas em 2014, e com isso as empresas de ônibus que estavam rodando nas linhas citadas, transferiram seus ônibus para outras linhas, reforçando a frota de rotas como: 336-Santa Cecilia 1 335-Bom Jardim 1 e mais um ônibus na 041-Parangaba/Oliveira Paiva/ Papicu.


Com a mudança a linha 041 totaliza 30 ônibus operantes no turno da manhã, e a Fretcar que só mantinha um ônibus pelo turno da manhã na linha, agora tem dois no turno informado e um a tarde. A COOTRAPS deverá receber nos próximos dias a linha 356-Genibau/Lagoa.


Fonte: MOB Ceará

quinta-feira, 4 de fevereiro de 2016

Ranking: As frotas de micro ônibus mais novas do momento

A equipe de busólogos do MOB levantou alguns dados e vai apresentar, através de uma pesquisa simples e objetiva quais são as 5 frotas de micro ônibus mais novas dentre as operadoras. 


Atualmente o sistema urbano conta com 201 veículos divididos entre as classes "mini e midi", ou seja, os micros convencionais e os "micrões".

Das 12 empresas operantes, as únicas que não possuem nenhum micro na frota são as seguintes: Siará Grande, Fretcar, Aliança e Terra Luz.  Das 8 demais empresas o MOB vai mostrar o ranking das 5 que mais se destacaram pela melhor idade média aproximada da frota. Vale ressaltar que os carros do serviço Top Bus foram incluídos na frota da Via Urbana e não apresentamos a colocação das demais 3 empresas. Confira a lista:

Fonte: MOB Ceará

quarta-feira, 3 de fevereiro de 2016

Santa Maria retira alguns 2007 e 2008

Após o inicio das operações dos últimos 5 carros novos, a empresa Santa Maria retirou 5 ônibus 2007/2008 de sua frota.


A empresa recebeu no mês de Dezembro 4 Marcopolo New Torino e mais um Sênior, que receberam os prefixos 20508, 20509, 20585, 20588 e 20599. Com a entrada destes, a empresa retirou de circulação os micros 20808 e 20809 e os carros 20745, 20803 e 20804 pois com a última permuta de linhas, a empresa recebeu mais linhas de média demanda, e com isso houve a necessidade de manter os carros leves de 2007 em operação por mais alguns meses.





Com a renovação, a Santa Maria é a quinta empresa a manter uma frota de micro ônibus 100% acessível, tendo apenas 5 veículos 2010 como os seus mais velhos da categoria.






Fonte: MOB Ceará