REDES:

_

Brasileiro 5045: um raro G6 Volvo que operou no intermunicipal cearense Sistema urbano de Fortaleza com 100% da frota acessível Expresso Cabral comemora 65 anos com renovação de frota Vega Manaus já passa de 160 ônibus e recebe 4 Marcopolo 0km Prime Plus recebe o MOB Ceará pela primeira vez Expresso Tur apresenta seus rodoviários ao MOB Ceará

segunda-feira, 5 de setembro de 2022

MOB em debate: quando ônibus e metrô vão "conversar" entre si?

A necessidade de deslocamento é algo intrínseco do ser humano, seja por diversão, por trabalho ou por qualquer outro motivo e/ou desejo. Faz parte da vida em sociedade o ato de ir de um lugar ao outro nos mais diversos horários. É certo também que cada cidadão tem o direito de escolher a melhor ou mais conveniente forma de trafegar entre os destinos. Alguns optam por usar o ônibus pois gostam deste, enquanto outros os usam apenas por não ter melhores opções disponíveis ou que caibam dentro do orçamento. O mesmo vale para os sistemas metroviários ou não motorizados. Cada cidadão é parte integrante de um sistema pulsante dentro das cidades.



E é nesse sentido, caro leitor, estimada leitora, que a Equipe MOB Ceará apresenta mais um MOB em Debate, desta vez com vistas a questionar quais são os motivos que a pessoa se leva a utilizar o transporte público e o que fazer para tornar esse modelo mais eficiente.

Dentre os conceitos que estão cada vez mais presentes nos jornais e nas publicações em geral, a concepção de Mobilidade Urbana está em destaque, afinal, mais do que um simples conjunto de palavras bonitas, a melhoria da Mobilidade Urbana é uma necessidade.

Segundo o dicionário Michaelis (2022), mobilidade é a facilidade em se movimentar, andar. Para o Priberam (2021), é a qualidade do que é móvel ou mesmo a faculdade de mover-se. O portal Viva Decora (2021) indica que a mobilidade urbana é definida como a condição que permite o deslocamento das pessoas em uma cidade com o objetivo de desenvolver relações sociais e econômicas. Ônibus, metrô, outros transportes coletivos e carros fazem parte das soluções de mobilidade.

De acordo com a NTU (2022), a prioridade do transporte público coletivo sobre o individual motorizado é uma conquista histórica da sociedade pela redemocratização do uso dos espaços públicos.

No entanto, é importante frisar que a integração entre os modais de transporte é algo urgente, seja na melhoria dos já existentes ou na implantação das integrações que aguardam há anos a saída do papel e a execução na prática, como a tão esperada integração física entre ônibus e metrô na capital cearense e sua região metropolitana. Aqui, não é só eficiência operacional, é Lei!



A Lei Federal 12.587/2012, Lei da Mobilidade Urbana, instituiu os instrumentos fundamentais para garantir sustentabilidade e eficiência nos deslocamentos nas cidades. A integração entre os modos e serviços de transporte urbano está presente nas diretrizes da Política Nacional de Mobilidade Urbana, em seu Artigo 6º, Inciso III.
Conforme o Art. 24. O Plano de Mobilidade Urbana é o instrumento de efetivação da Política Nacional de Mobilidade Urbana e deverá contemplar os princípios, os objetivos e as diretrizes desta Lei, bem como: ... V - a integração dos modos de transporte público e destes com os privados e os não motorizados.

Para Rodrigues (2022), a mudança cultural na mobilidade já está acontecendo, sendo Fortaleza uma cidade exemplo de inclusão na mobilidade urbana. É certo que corredores exclusivos, sistemas rápidos de transporte sobre vias, ciclovias e ciclofaixas funcionam muito bem quando em conjunto. No entanto, cabe ressaltar que muito ainda precisa ser feito. A exemplo da integração eficiente entre os modais de transporte disponíveis na capital.

É inconcebível existir sistemas ferroviários e rodoviários, em uma mesma disposição geográfica, que não “conversam entre si”. Como exemplo, apresenta-se a região da Parangaba, rodeada por vias de fluxo intenso, terminais de ônibus e estações de metrô e VLT, praticamente unidas fisicamente mas totalmente separadas pelo custo e consequente dificuldade de se movimentar entre elas.

Este é o questionamento desta matéria. Este é o debate que se busca obter: Quando a tão esperada integração física entre os modais mais populares e eficientes vai sair do papel e se tornar real?



Sabe-se que a demanda de passageiros está em tendência de queda, motivada por diversas questões, fato que está mudando as políticas de planejamento dos órgãos reguladores (como a ETUFOR).

A recente junção de linhas, bem como a interrupção parcial de serviços de linhas em dias ou horários específicos da semana é fator evidente de busca pelo equilíbrio econômico-financeiro do próprio sistema. Neste sentido, convém, para empresas e passageiros, adaptar-se aos novos processos.

A Equipe MOB Ceará entende que tais situações podem e devem ser aplicadas desde que efetivamente justificadas e com planos de apoio aos eventuais prejudicados. Não se pode tomar decisões simplesmente por tomar. Dentro deste contexto, mais uma vez, a integração física dos modais surge como fator gerador de melhoria ao criar novos estímulos aos usuários para deslocamento.

A linha 407 - José Walter / Expedicionários / Centro é um exemplo recente destas mudanças, pois deixou de operar aos domingos. Como alternativa de deslocamento Bairro José Walter <> Centro (e vice-versa), a ETUFOR sugere ao usuário o trajeto pelo terminal da Parangaba. Aqui, um eventual passageiro tende a pensar mais antes de se aventurar por duas conduções no lugar de um trajeto direto (que não está disponível). Nesses casos, muitas vezes, o passageiro opta por outros meios de transporte como Táxi ou Uber, diminuindo ainda mais a já tão crítica demanda.



Caso a integração física entre metrô e ônibus já estivesse disponível, seja aos domingos ou em qualquer dia da semana, a agilidade proporcionada pelo metrô seria, sim, fator preponderante para tomada de decisão e opção de uso. O sistema metroviário é ágil e com grande capacidade, enquanto o sistema rodoviário é caracterizado pela proximidade com o usuário e acesso onde outros sistemas não conseguem entrar. Logisticamente falando, o modal rodoviário é conhecido como o único modal “porta a porta”.

Junte as qualidades do metrô (e VLT) com as qualidades do ônibus e terá um modelo mais eficiente e com maior qualidade e velocidade. Este é o básico, que pode não ser simples de ser feito, mas pode sim ser feito desde que se tenha vontade política e entendimento das reais necessidades dos principais interessados: os usuários.

Afinal, quando a integração física dos modais vai acontecer?
Não se sabe...

Redação: Equipe MOB Ceará

Referências:

Lei Federal 12.587/2012. Política Nacional de Mobilidade Urbana. https://antigo.mdr.gov.br/images/stories/ArquivosSEMOB/cartilha_lei_12587.pdf [consultado em 28-08-2022].
"mobilidade", in Dicionário Priberam da Língua Portuguesa [em linha], 2008-2021, https://dicionario.priberam.org/mobilidade [consultado em 28-08-2022].
"mobilidade". Michaelis. 2022. https://michaelis.uol.com.br/busca?id=L1jwW [consultado em 28-08-2022].
NTU. Mobilidade urbana. Lei de mobilidade urbana 2022. https://www.ntu.org.br/novo/AreasInternas.aspx?idArea=7&idSegundoNivel=18 [consultado em 28-08-2022].
Rodrigues, Haroldo. Fortaleza é exemplo de inclusão na mobilidade urbana. 2022. https://forbes.com.br/forbesesg/2022/03/haroldo-rodrigues-fortaleza-e-exemplo-de-inclusao-na-mobilidade-urbana/ [consultado em 28-08-2022].
VIVA DECORA. O Que é Mobilidade Urbana? Entenda o Conceito e Veja Exemplos! 2022. https://www.vivadecora.com.br/pro/o-que-e-mobilidade-urbana/ [consultado em 28-08-2022].

7 comentários:

SimpatizanteBus disse...

A resposta é muito simples do por que não fazem. Incompetência. Enquanto perdurar no poder do estado e capital esse grupo que está aí, vamos ficar esperando por muito tempo. Todo mundo é prejudicado com esse sistema ineficiente de transporte que temos aí. Empresários dos ônibus e principalmente passageiros. Insegurança, superlotação, demora abusiva inclusive em horários de pico, que dirá em fins de semana, ar condicionado desligado mesmo com o Diesel com preço estabilizado, sistema não integrado com metrô, o que é uma promessa de campanha desse governo que está aí, e olhe que ele diminuiu o tamanho do terminal da Parangaba, comendo uma plataforma de embarque para usar com o metrô. Enfim, eu faeli incompetência, mas não é só isso. GOVERNO DO ESTADO E PREFEITURA NÃO ESTÃO NEM AÍ PRA TRANSPORTE PÚBLICO, ESSA É QUE É A VERDADE. NOSSO PREFEITO ESTÁ PROMETANDO AGORA UM TERMINAL NO CENTRO, ALI ONDE ERA O ANTIGO BECO DA POEIRA. TERMINAL DE INTEGRAÇÃO OU OUTRO ABERTO EM PREFEITO?

Denilson Rodrigues disse...

Existe uma promessa para fortaleza 2040 que prevê essa tal "integração", inclusive criando grandes sistemas BRT inclusive com estações de transferência metropolitanas, porém acho que isso é uma utopia visto que as medidas para se chegar a esse objetivo estão regredindo a cada dia. Empresários e poder público não movem uma palha para estimular o transporte público o que eu vejo é um órgão chamado ETUFOR brincando de derrubar um castelo de cartas que é o sistema de transporte de fortaleza, adotando medidas que desestimulam o usuário ou que somente prejudica quem depende dos ônibus da capital, realmente é vergonhoso! E não adianta a população e nem grupos sociais fazerem nada pq não resolve, isso é um monopólio concentrado em mãos de gente grande

Denilson Rodrigues disse...

Até empresas que um dia foram uma grande chave no nosso sistema estão quebrando ou rodando em fase de recuperação por conta de um sistema como esse de Fortaleza

Gusttavo Lima disse...

Não entendi o que ele falou???

viação rota direta disse...

Infelizmente Fortaleza tem um Sistema de Transporte retrógrado na qual os modais acabam concorrendo entre si, exemplo das linhas urbanas e metropolitanas com modelo de integração confuso e ineficiente. É bizarro termos um corredor BRT mesclado com o sistema convencional.

Anônimo disse...

Simples! Porque não temos uma prefeitura (prefeito) comprometido com o sistema de transporte público de Fortaleza hoje temos algumas empresas completamente sem condições de operar circulando com carros velhos sucateados sem letreiros visíveis um verdadeiro desrespeito ao usuário com o amém dos órgãos que deveriam fiscalizar e não fazem e nem vão fazer LAMENTÁVEL

Narcisio Santos disse...

O transporte é incerto em 2024 imagine previsões pra 2040... não acreditem neled