REDES:

_

Com novidades, Viação Itapemirim recebe o MOB Ceará São José de Ribamar: a empresa extinta mais falada na busologia Marcopolo apresenta plataforma BioSafe para empresários no Ceará RCR Locação acrescenta em sua frota cearense novos Ideale 800 Horizonte Transportes inova com aquisição de ônibus 0km

segunda-feira, 28 de dezembro de 2020

Intermunicipal do Ceará: ARCE publica edital e informações sobre a licitação dos lotes 2 e 5

A Agência Reguladora do Ceará (ARCE) publicou, há alguns dias, detalhes sobre como funcionará o processo licitatório e alguns detalhes técnicos a respeito da disposição dos lotes 2 e 5, confira a seguir.


O sistema de transporte rodoviário intermunicipal do Ceará passa por uma de suas fases mais difíceis no atual cenário com a redução brusca na demanda de passageiros, e devido o atual cenário de pandemia por conta da COVID-19 no mundo, muitas pessoas deixaram de se deslocar entre as localidades cearenses. Com a queda nos números de passageiros, as empresas detentoras juntamente ao órgão regulador estadual fizeram alguns ajustes nas operações de alguns lotes com reduções de horários e extensões de algumas linhas. Os ajustes foram necessários, devido os altos custos das operações e o não retorno financeiro suficiente para cobrir as mesmas, devido o fato da redução de demanda.

Mas, em pouco tempo, a demanda que se encontrava baixa foi subindo e o passageiro com poucas opções de horários no sistema rodoviário buscou alternativas como por exemplo: táxis particulares, caronas, aplicativos de transportes, clandestinos e o principal, o transporte alternativo operado por vans e micro-ônibus.


A área de operação 2 (um dos atuais objetos de licitação), foi a mais afetada por todos esses fatores citados acima. Após a saída da companhia Fretcar (devido o encerramento do contrato licitatório), o lote passou por operações confusas e bem bagunçadas. No período de operações emergenciais, as empresas que detinham do direito de operação provisório, conseguiram atender de forma pontual e com êxito os destinos da área, mas depois, veio o período de pandemia e a paralisação das operações durante vários dias. O lote foi licitado, porém não houveram propostas de empresas, e as cidades continuaram sem nenhum atendimento de transporte contínuo. Muitos moradores se queixam da falta de coletivos para as regiões e se sentem desassistidos. Nesse período, com quase nenhuma opção de disponibilidade de horários no sistema rodoviário e alternativo, os passageiros foram forçados a buscar os meios de transporte citados acima.

As principais queixas dos operadores rodoviários com relação ao lote 2, é o pouco retorno financeiro e a forte concorrência com o serviço de transporte complementar.

Para atrair novos operadores para a área de operação, com o intuito de reverter o cenário de uma forma coerente e que satisfaça os operadores intermunicipais através das considerações realizadas, a ARCE buscou uma maior racionalização da rede com o objetivo de tornar as áreas de operações viáveis em relação ao atendimento para a população e a rentabilidade para as transportadoras.


Com o encerramento do atual contrato do lote 5 e um novo início de processo licitatório, o órgão licitará as duas áreas no mesmo dia, 26 de janeiro de 2021, onde serão abertos os envelopes contendo as propostas. O órgão apresenta uma nova divisão, é uma espécie de mistura de cidades atendidas atualmente pelo lote 5 com o lote 2. Confira a seguir, como ficará a disposição de cidades e corredores que serão atendidas pelas áreas de operação:


Área de Operação 2

Municípios Pólos: Baturité e Itapipoca.


Municípios da Área de Operação:
Acarape, Aracoiaba, Aratuba, Barreira, Baturité, Capistrano, Guaramiranga, Itapipoca,
Mulungu, Ocara, Pacoti, Palmácia, Paracuru, Paraipaba, Redenção, São Luís do Curu,
Trairi, Tururu, Umirim e Uruburetama.


Corredores Principais:
CE-065
CE-060
CE-085
BR-222


Área de Operação 5


Municípios Pólos: Quixadá e Amontada.


Municípios da Área de Operação:
Acaraú, Amontada, Banabuiú, Barroquinha, Bela Cruz, Camocim, Choró, Cruz, Dep.
Irapuan Pinheiro, Granja, Ibaretama, Ibicuitinga, Itapiúna, Itarema, Jijoca de Jericoacoara,
Marco, Milhã, Miraíma, Mombaça, Morrinhos, Pedra Branca, Piquet Carneiro, Quixadá,
Quixeramobim, Senador Pompeu, Santana do Acaraú e Solonópole.



Corredores Principais:
BR-122
CE-085
BR-222

De acordo com o órgão, as seleções de cidades foram feitas após análise das contribuições recebidas na audiência pública do edital, verificando-se que as áreas de operação 2 e 5 poderiam ser organizadas de forma em que os municípios mais próximos de Fortaleza representassem uma área de operação e os municípios mais distantes representassem outra área de operação. Tal divisão se justifica principalmente pela tecnologia veicular utilizada nas linhas e garante uma maior eficiência operacional. O órgão complementa e relata que a composição das áreas de operação, além dos municípios atendidos pelas linhas radiais das respectivas áreas de operação, estão sob influência dos municípios pólos mencionados e dos trechos dos corredores viários internos às áreas. Os corredores viários das áreas de operação correspondem às vias – CE's e BR's – inseridas e utilizadas na CONCORRÊNCIA PÚBLICA Nº 20200002/ARCE/CCC9, pelas linhas que ligam os municípios regionais entre si, aos pólos, e ao município de Fortaleza.

Tempo de duração dos contratos e idade média de frota

A concessão será contratada por um período de 09 anos, que poderá ser prorrogada uma única vez. A concessionária ou empresa contratada não poderá prestar os serviços com veículos com idade maior que 09 anos, conforme Decreto Estadual nº 29.687/2009 e suas alterações.

Outros detalhes e informações estão disponíveis para acesso livre nos seguintes links abaixo:

EDITAL DE CONCORRÊNCIA PÚBLICA - 2020/2021

ATO DE JUSTIFICATIVA DE CONCORRÊNCIA PÚBLICA - 2020/2021

Fonte: MOB Ceará/ARCE
Redação: Roger Gomes

12 comentários:

Nathan disse...

Antigamente, antes do governo crescer os olhos e entregar todas as linhas rentáveis pro Jacob Barata, tinha linha pra todo canto com ônibus disponíveis e todo mundo ganhava dinheiro, hoje em dia, com essa licitação, está péssimo o serviço e não tem ônibus disponível, eu estava procurando passagem pra Quixeramobim e durante 2 dias não tinha sequer uma vaga disponível. Triste isso... Na época da Redenção, ela colocava carro extra

Unknown disse...

Esperamos Que Chegue Uma Empresa De Fora Que Saiba Tratar Bem Os Clientes Onde Vise O Bem Do Passageiro Nas Viagens Não Como As Empresas Daqui Fazem Visem Só Lucro
Queremos Que Seja Um Serviço Inovador Que Dê Exemplo No Estado, Estamos Ansioso Pra Saber Qual Empresa Vai Vencer Esse Processo Isso E Se Já Não Tiver Sido Resolvido Né Pq Aqui No Estado E Monopolizado Por Dois Grandes Empresários Eles Que Manda.Então Esperamos Um Pouco Mais De Bom senso Do Órgão E Pense No Bem Estar Do Passageiro Não Nós Lucros Dos Empresários...Queremos Também Uma Empresa Onde Dê Uma Maior Qualidade Para Seus Profissionais Que Conduzem Os Ônibus Pois Todos Estão Fazendo Dupla Função Ter Que Cuidar Do Ônibus Só Se Ia Não Bastasse Ter Que Conduzir O Veículo De Uma Forma O de Todos Que Estão Lá Fiquem Satisfeito Ter Que Se Preocupar Com Demais Atividades Que Não Compete A Sua Profissão Isso E Desumano E Falta De Coerência E Respeito Com Seu Profissional Que Está Trabalhando Sobrecarregado,Com Medo De Acontecer Algo Pq Sabe Que Se Errar Ele Sai E Fica Desempregado Isso E Nosso Transporte Cearense. Enfim Esperando Que A ARCE Seja Muito Coerente Mais Muito Mesmo Com Essa Licitação E Não Vá Por Empresário A Nem B Apenas Vá Pelo Conforto E Segurança Dos Usuários.

Carlos roberto disse...

Agora quero ver com essa "licitação" vai melhorar o transporte rodoviário do ceara o que eu duvido que aconteça e todos sabendo quem vai ganhar esses lotes, e ainda querem colocar mistério no ar como se um outro grupo ou empresa não ligada aos cabeças daqui fosse entrar

Jadson Lino disse...

Antes se tinha uma coisa importantíssima que não existe mais,RESPEITO.
na década passada havia várias empresas que hj não existe mais, hj somente 4 praticamente, Fretcar, Princesa,Sao Benedito e Guanabara.
Falta de respeito com usuário, com o próprio dono de empresa, com o estado como um todo, uma concorrência desleal em todos os sentidos.
Anos anteriores haviam muito mais empresas sem esse monopólio de quem tem dinheiro hj, é eram cobertas todas as áreas do estado, é Sim havia entre os donos, caráter, e respeito, todas em menos de uma decada se foram.
Naquele tempo onde uma atuava outra quase nao passava, é assim todas ganhavam é todo o estado praticamente era atendido.....
Pra Relembrar quem um dia fez o transporte sério, é que fascina o mundo da Busologia nesse estado que hj se resumé a Guanabara.

Expresso Asa Branca
Expresso vale do jaguaribe
Expresso Canindé
Brasileiro
Crateús/transcrateus
Redenção/redentora
Paraipaba
Timbira
Entre outras.

Jadson Lino disse...

Antes se tinha uma coisa importantíssima que não existe mais,RESPEITO.
na década passada havia várias empresas que hj não existe mais, hj somente 4 praticamente, Fretcar, Princesa,Sao Benedito e Guanabara.
Falta de respeito com usuário, com o próprio dono de empresa, com o estado como um todo, uma concorrência desleal em todos os sentidos.
Anos anteriores haviam muito mais empresas sem esse monopólio de quem tem dinheiro hj, é eram cobertas todas as áreas do estado, é Sim havia entre os donos, caráter, e respeito, todas em menos de uma decada se foram.
Naquele tempo onde uma atuava outra quase nao passava, é assim todas ganhavam é todo o estado praticamente era atendido.....
Pra Relembrar quem um dia fez o transporte sério, é que fascina o mundo da Busologia nesse estado que hj se resumé a Guanabara.

Expresso Asa Branca
Expresso vale do jaguaribe
Expresso Canindé
Brasileiro
Crateús/transcrateus
Redenção/redentora
Paraipaba
Timbira
Entre outras.

P. Freitas disse...

O grande problema é pq ñ tem uma fiscalização rigida aos alternativos principalmente no lote 2 só querem rodar na frente dos ônibus assim empresa nenhuma vai conseguir operar

Narcisio Santos disse...

Problema É esse... respeito não gera mais retorno financeiro. Tem que ter político pras coisas darem certo pra certos grupos empresariais...

Narcisio Santos disse...

A tirar pela linha Matias (Canafistula) que a Viação Real entregou e a princesa que é dona daquela bacia nunca botou carro lá e nem pra parar na rodovia pro povo se virar.

Unknown disse...

Na Verdade Guanabara E Princesa Vão Monopolizar O Estado Pq O Governo Apoia Isso,Tudo Que Os Donos Delas Querem Fazer Nosso Bendito Governador Faz Isso Ninguém Mostra Eu Sou Chofer Do Turismo Já Prestei Serviço Para Guanabara E Princesa E Sempre Viajava Com Um Cobrador Todos Gente Boa Hoje Vejo Nossos Colegas Aí Se Matando No Volante E Ainda Mais Por Cima Ter Que Dividir Essa Responsabilidade Enorme Que Tá. Turismo Hoje Tá Mto Melhor Que Sistema Rodoviário Os Diretóres Patronal Erraram Ao Meu Ver Tirando Os Auxiliares Pq Eles Ali Era Uma Garantia E Ao Mesmo Tempo Certeza De Um Serviço Bem Prestado Dos Usuários Ter Uma Voz Da Empresa Para Lhe Orientar Para Lhe Ajudar Coisa Que Jamais O Motorista Vai Conseguir Fazer Pois Ele Não Vai Parar O Veículo Atrasando Sua Viagem Para Tirar Dúvidas Ou Solucionar Problemas A Não Ser Que Seja Mto Sério Algo Sério Ou Seja Vai Criar Um Impasse Entre Os Usuários Pois Sempre Vai Ter Um Que Vai Ter Dúvidas Vai Chamar O Responsável Pela Empresa Dentro Do Veículo Para Tirar Dúvidas E Ao Mesmo Tempo Que O Chofer Parar O Ônibus Para Atender Aquele Tal Usuário Outro Passageiro Vai Está A Achar Ruim Pois Está Atrasando Sua Viagem Isso E Fato.Então Estou Comentando Aqui Mais Sei Que Nada Muda Isso E Só Pra Glra Aí Ver Como Está O Sistema Rodoviário Urbano Etc. Foisse O Tempo E Triste A Realidade Dos Nossos Chifre Que Ou Faz Ou Sai Fica Sem Emprego Ou E Ou E Esse E O Lema Das Empresas Dos Diretores Dos Poderosos.

Adelmo disse...

Com essa concorrencia desleal nesses dois lotes e falta d fiscalizaçao,empresa nenhuma no mundo consegue operar.
Topic e micro onibus correndo na frente dos onibus.

Beto Silva disse...

De dez ou mais anos atrás as coisas mudaram muito, antigamente passageiros viajavam em pé,não tinha tanto imposto pra governo, menos táxi amigo , menos trasporte alternativo, vans clandestina, carros clandestinos ....será que realmente as empresas antigas sobreviveriam nos dias de hoje? Lógico que falta sim mais respeito aos usuários e funcionários, valorização seria a palavra ideal .

Beto Silva disse...

Lembro que cheguei a ir pra Jaguaribe encostado no braço da cadeira pq não tinha vaga sentado.Comparar 15 anos atrás com hoje fica difícil