REDES:

_

MOB Ceará conhece as instalações da Ferraria JG - Marcopolo Viação Penha mostra sua casa e aquisições ao MOB Ceará Sindiônibus convida MOB Ceará para uma conversa aberta sobre mobilidade urbana Busólogos conhecem DD de 15 metros da Neqta Conhecimento fez diferença na visita da São José

segunda-feira, 15 de abril de 2019

MOB Ceará em debate: um estudo sobre a variabilidade da demanda de passageiros

Estimados leitores, esta matéria (que reúne trechos de uma publicação nas redes sociais do MOB Ceará) tem o propósito de criar mais um espaço para o debate sobre um assunto de extrema relevância para o sistema de transporte público da capital cearense, observando, assim, os impactos que as novas formas de deslocamento dos usuários trazem para a sociedade como um todo.


Vale ressaltar que, em um espaço de tempo de menos de três anos, a frota de ônibus urbanos de Fortaleza sofreu uma redução de aproximadamente 150 veículos, o que equivale ao porte de algumas empresas médias operantes na capital. Tal redução é explicada pela queda na demanda de passageiros, motivada principalmente pela concorrência do ônibus com outros modais de transporte, como os veículos particulares (carro, moto e bicicleta), táxi e moto táxi e, em especial, os veículos acionados por aplicativos e táxi amigo.

Tal queda na demanda de usuários acarreta na consequente diminuição da receita nos caixas das empresas, implicando na redução dos lucros, já que os custos permanecem praticamente os mesmos. Como parte de um plano para conter os custos, os órgãos controladores do sistema adotaram a estratégia de reduzir a frota em várias empresas.

O problema em Fortaleza é que os empresários parecem ainda não enxergar que o usuário é cliente, e que deve ser tratado como tal. O sistema deveria estimular o uso do transporte coletivo utilizando-se das mesmas estratégias de propaganda das empresas de serviços "não-essenciais", para que o usuário perceba por si só que o ônibus é mais vantajoso. Mas o que vê-se até os dias atuais é um verdadeiro ''tiro no pé'': a redução de tabelas gera um aumento no tempo de espera e uma maior possibilidade da fuga do potencial cliente para outros modais.

Engana-se quem acha que o ar-condicionado é um critério importante para que o usuário utilize o ônibus. Pontualidade, confiabilidade e rapidez são, de fato, decisivas para obtenção da necessária vantagem competitiva que resulta na atração da demanda. Assim, é lícito afirmar que o exemplo das faixas exclusivas contribui muito mais na atração de passageiros do que a climatização (que, aliás, nem sempre está em uma temperatura agradável).

Uma boa alternativa de melhoria e eficiência é a criação de programas de fidelização para os usuários, tal como existe na aviação e em empresas de transporte rodoviário, fornecendo, por exemplo, vantagens a partir da frequência de uso ou até mesmo para quem adquirir passagens no cartão. Assim, o usuário que utiliza o ônibus para ir trabalhar poderia ganhar um ou dois dias de bonificação na compra de trinta dias (ou sessenta passagens) como estímulo pela aquisição antecipada.

Sabe-se que a informação é a base desta era, e que a tecnologia está cada vez mais presente na vida das pessoas, por conseguinte, outras formas de fidelização também poderiam ser utilizadas, sempre mantendo o foco no cliente. Tal como as redes de farmácias, a equipe MOB Ceará sugere a criação de um programa aonde o usuário informaria as suas linhas e horários de interesse, em troca de descontos na passagem (paga com cartão) quando fizer uso destas.

Para as empresas e órgãos reguladores, esta é uma oportunidade ímpar de obtenção fácil de dados de qualidade técnica excelente sobre a demanda, os trechos e os períodos mais utilizados, bem como suas necessidades e expectativas. Com base na extração destes dados, leia-se transformação em informações e conhecimento, os gestores poderiam alterar rotas, classes, horários e/ou veículos com base nos relatórios obtidos, resultando em mais eficiência e, finalmente, na confiabilidade e disponibilidade que os usuários necessitam para se sentirem seguros a voltar ao sistema.

Trocar de classe operacional é bem melhor do que reduzir tabelas (disponibilidade ao usuário) e é fácil de resolver, porque depende apenas de Ordem de Serviço Operacional da ETUFOR. A criação de mini terminais, no entanto, depende de estratégia política da Prefeitura, que pode, infelizmente, ser adiada por muitos meses, até anos.

O certo é que os gestores do sistema precisam criar estratégias para atrair mais usuários, bem como cobrar da Prefeitura a correta manutenção das vias exclusivas para ônibus, para reduzir os custos com manutenção e aumentar a velocidade média.

Se algo não for feito com urgência, a tendência é o setor encolher ainda mais, e os gestores, com o perdão da expressão, vão dar aquela velha desculpa de "não saber porque foi", simplesmente apontando culpados, acusar governos e sem tomar nenhuma providência.

Fato é que o tempo de espera por ônibus é um questionamento cada vez maior por quem busca este modal de transporte, por vezes quase imperceptível ao usuário comum, aquele que não acompanha bem os números relacionados ao sistema, e esta situação gera incômodos que resultam, quando possível, em tentativas de fuga deste mesmo sistema, ou seja, a utilização das novas formas de deslocamento, colaborando com o “círculo vicioso” aqui apresentado.
Fonte: MOB Ceará

3 comentários:

  1. Uso o transporte público na maioria das vezes que preciso me deslocar para algum lugar. De fato, o mais atrativo para mim é sem dúvida a rapidez, pontualidade e confiabilidade das linhas de que faço uso. Com a criação das faixas exclusivas de ônibus o tempo de deslocamento só melhorou, (apesar de que a única coisa que atrapalha são os taxistas). Infelizmente o tempo de espera de algumas linhas só aumentam devido aos poucos carros e o trânsito que também contribui bastante.
    Programas de fidelidade na era da concorrência, sem dúvida seriam muito bem vindos, mas infelizmente os cabeças não estão interessados nisso... Infelizmente.

    ResponderExcluir
  2. Sou motorista de ônibus , se possível alguém de vcs passasem na Av.Bernardo Manoel e reparassem o tamanho da cratera q tem em frente a TBM textil , é muito difícil pegar o usuário nessa parada , já reclamei com os fiscais que ficam no terminal da Parangaba mas nada foi feito , vejo q no texto diz q temos q cobrar da prefeitura a manutenção das faixas exclusivas pra ônibus , não sei se esse é o lugar adequado pra fazer cobrança , mas fica aqui o registro de indignação por querer o melhor pelo o usuário e consequentemente a melhoria do meu trabalho , pois sei q ali também é um ponto q os ônibus podem ser bastante danificado e pode causar bastante prejuízo as empresas , obrigado pela atenção desde de já 👍

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Colega, liga para o Alô Sindionibus. Já liguei me referindo a buracos na via, e com menos de 20 dias resolveram. Liga e abre a reclamação. Diz que é difícil fazer o embarque e desembarque de passageiros ali.

      Excluir

Deixe seu comentário sobre nossas matérias, ou mande sugestões através do contato [email protected]
Ressaltamos que não nos responsabilizamos pelo conteúdo dos mesmos.