MOB conhece novos automáticos da Viação Princesa Conheça os dois hobbys que andam juntos: Busologia e Spotting Prefeito afirma vir articulados para corredor da Aguanambi Uma história exclusiva do Ciferal Jardineira Diversas fotos de ônibus antigos no MOB Relíquias. Clique nessa foto São Benedito oferece visita ao MOB Ceará

terça-feira, 8 de agosto de 2017

Lucratividade da Marcopolo supera o índice do 1º trimestre de 2017

A encarroçadora caxiense Marcopolo divulgou os resultados referentes ao desempenho do 2º trimestre de 2017 e o acumulado dos primeiros 6 meses desse ano.


A produção brasileira de ônibus atingiu 4.045 unidades no 2º trimestre de 2017, redução de 5,2% em relação ao mesmo período de 2016. No 1º semestre deste ano, a produção foi de 6.490 unidades, 7,8% inferior ao volume produzido no mesmo período de 2016. 

* Mercado Interno

A produção destinada ao mercado interno somou 2.866 unidades no 2º trimestre de 2017, 9,9% inferior às 3.180 unidades produzidas no 2º trimestre de 2016. Nos primeiros 6 meses deste ano, a produção da Marcopolo foi de 4.232 unidades, 19,2% inferior ao volume produzido no mesmo período do ano passado. 

* Mercado Externo

As exportações totalizaram 1.179 unidades no 2º trimestre de 2017, 8,4% superior às 1.088 unidades exportadas no 2º trimestre de 2016. No 1º semestre de 2017, as exportações somaram 2.258 unidades, 25,0% superior às 1.807 unidades exportadas no 1º semestre de 2016. 

No 2º trimestre deste ano, foram registradas na receita líquida 2.810 unidades fabricadas, das quais 1.551 foram vendidas no Brasil (55,2% do total), 769 exportadas a partir do Brasil (27,4%) e 490 no exterior (17,4%). 

PARTICIPAÇÃO NO MERCADO BRASILEIRO 

A participação total no mercado brasileiro da Marcopolo foi de 47,2% no 2º trimestre de 2017, contra 33,9% no 2º trimestre de 2016, com destaque para a participação de 70,6% no segmento de rodoviários. 



O incremento na participação de mercado ocorreu em todos os modelos, destacando-se o maior volume de rodoviários, tanto pela recuperação do mercado interno, como pela continuidade dos bons volumes de exportação. O volume de micros também contribuiu para a melhora da participação no mercado, em grande parte pela consolidação da participação da Neobus. O destaque do trimestre foi a receita doméstica, que cresceu 48,1% na comparação trimestral, impulsionada especialmente pelo maior faturamento de rodoviários, com crescimento de 94,5% no 2º trimestre deste ano. A produção de rodoviários cresceu 75,9% no 2º trimestre de 2017 , em comparação ao mesmo período do ano anterior. 

O lucro bruto consolidado do 2º trimestre de 2017 atingiu R$ 110,3 milhões, auxiliado especialmente pelo maior faturamento de rodoviários no mercado interno, pela exportação de produtos com maior valor agregado e pela melhor eficiência operacional da unidade Ana Rech, oriunda dos esforços da Companhia em revitalizar seu sistema de produção utilizando os princípios LEAN. Sem o efeito da consolidação da Neobus, a margem bruta teria sido de 17,1%, maior que o reportado no mesmo período do ano passado.

INVESTIMENTOS

No 2º trimestre de 2017, a Marcopolo investiu R$ 17,5 milhões, sendo R$ 6,4 milhões em máquinas e equipamentos e R$ 2,1 milhões em softwares e equipamentos de informática . Nas controladas, foram investidos R$ 6,6 milhões na San Marino/Neobus, R$ 0,8 milhão na Volare Espírito Santo, R$ 0,6 milhão na Polomex e R$ 0,8 milhão nas demais unidades.


ANÁLISE E PERSPECTIVAS

O segundo trimestre trouxe importantes sinais de melhora no mercado doméstico, especialmente no segmento de rodoviários, bem como manutenção dos níveis de exportação registrados no mesmo período do ano anterior. A carteira de pedidos apresenta-se com uma composição mais longa, quando considerado o atual quadro de mão-de-obra, e com carrocerias de maior valor agregado. 

Em relação ao mercado de ônibus rodoviários, a regulamentação de acessibilidade que vigoraria a partir de 1º de julho, para todos os modelos, foi prorrogada para julho de 2018. De outra parte, a obrigatoriedade de redução na idade média da frota para as linhas interestaduais e internacionais para 8 anos até o final de 2017, 6 anos em 2018 e 5 anos para 2019, poderá gerar aumento de demanda neste segmento. No segmento de urbanos, indefinições sobre reajuste de tarifas e licitações ainda impactam os volumes de vendas e a rentabilidade. 

As quedas sucessivas em termos de unidades produzidas trimestralmente no Brasil indicam um processo de represamento de pedidos. Destaca-se que a Marcopolo lançou, no dia 11 de maio, um novo modelo de urbano, denominado Torino S, que agrega maior eficiência operacional, manutenção simplificada, mais rápida e com menores custos, mantendo os atributos de qualidade, conforto e segurança do modelo Torino.

Nas unidades externas, os destaques positivos ficam por conta das operações da controlada Polomex e das coligadas TMML e Superpolo. Nesse trimestre, a produção da unidade mexicana Polomex cresceu 20,3%. Ressalta-se também a redução de participação no capital social da unidade GB Polo, localizada no Egito, de 49,0% para 20,0%.

DESTAQUES DO 2º TRIMESTRE DE 2017   

A Receita Líquida somou R$ 741,0 milhões, crescimento de 19,6% ante o 2º trimestre de 2016. O Lucro Bruto atingiu R$ 110,3 milhões, com margem de 14,9%. O Lucro Líquido alcançou R$ 26,0 milhões, com margem de 3,5%. A Produção Total da Marcopolo atingiu 2.860 unidades, com aumento de 36,5% perante o 2º trimestre de 2016.

Fonte: MOB Ceará
Colaboração: J. Alberto

Um comentário:

franciscojose teixeiradaconceicao disse...

Corre a notícia, de que a Caio comprou a antiga BUSSCAR, e que agora se chama CARBUSS... Agora é mais uma força, para gerar empregos para o país e espero que também grandes ônibus, assim como era a eterna BUSSCAR.

Tradutor