MOB Ceará participa de reportagem acadêmica sobre busologia Ranking das frotas mais novas do metropolitano Conheça a nova linha da Busscar Veja a lista dos ônibus mais geladinhos de Fortaleza. Concorda? Uma história exclusiva do Ciferal Jardineira São Benedito oferece visita ao MOB Ceará

domingo, 7 de maio de 2017

CCTC & CCTChopp: Empresário restaura Ciferal Urbano em homenagem à extinta empresa CCTC de Campinas/SP.

A CCTC – Cia. Campineira de Transporte Coletivo foi uma empresa que atuou no transporte urbano da cidade de Campinas/SP entre 1951 e 1989.

GM ODC 210 – DÉC. 1950

A empresa foi um dos setores urbanos da famosa Viação Cometa S.A., de São Paulo/SP. O outro setor urbano do grupo atuava na cidade de Ribeirão Preto/SP.

CIFERAL URBANO SCANIA B110 – DÉC 1970


Uma grande curiosidade sobre a CCTC, talvez a maior delas, foi que a empresa possuiu exclusivos ônibus com carroceria fabricada pela CMA – Cia. Manufatureira Auxiliar em 1985. A CMA, por sua vez, também fazia parte do grupo de empresas comandadas pela Viação Cometa, e fora criada no começo da década de 1980 após a falência da encarroçadora carioca Ciferal. A CMA fabricou os famosos e exclusivos ônibus rodoviários Flecha Azul da Viação Cometa.

CMA URBANO SCANIA BR116 – DÉC. 1980

A CCTC foi extinta em 1989 após uma grande reformulação do transporte urbano em Campinas. A CMA, por sua vez, foi extinta após a venda da Viação Cometa S.A. para a JCA Holding/ Auto Viação 1001, em 1989.

O CCTChopp – a CCTC foi tão marcante na história de Campinas que um empresário da cidade restaurou um Ciferal Urbano da década de 1970 e transformou o veículo numa chopperia sobre rodas. O veículo, caracterizado com a identidade visual da época, foi batizado de CCTChopp, e atua em diversos tipos de eventos, como feiras temáticas, exposições de automóveis antigos e shows diversos. Eventualmente o CCTChopp também fica estacionado em logradouros no Centro da cidade de Campinas.






Além do Ciferal Urbano, o empresário campineiro também restaurou um monobloco Mercedes-Benz O-365, eventualmente utilizado em passeios e exposições do segmento antigomobilista.


Fonte: MOB Ceará
Redação/Colaboração: Marinaldo Júnior (RJ)

3 comentários:

francisco chagas disse...

EITA OS AMIGOS FORAM LONGE!

Edson Feijo disse...

Boa matéria
Parabéns

Isack Barrib disse...

Parabéns para esse empresário! Ele é a pessoa que faz a diferença. É lamentável no Brasil não existir ainda uma política que inclua como patrimônio público ônibus antigos uma vez que eles fazem parte da história do transporte público desde da fabricação até mobilidade urbana nas cidades. Essa política/projeto incentivaria a preservação, restauração, resgate histórico, mostragem, utilização, circulação, comercialização e coleção.

Tradutor