MOB conhece novos automáticos da Viação Princesa Ranking das frotas mais novas do metropolitano Prefeito afirma vir articulados para corredor da Aguanambi Uma história exclusiva do Ciferal Jardineira Diversas fotos de ônibus antigos no MOB Relíquias. Clique nessa foto São Benedito oferece visita ao MOB Ceará

sábado, 21 de fevereiro de 2015

Gêmeos: Ciferal Urbano x Thamco Falcão

O MOB Ceará inaugura uma série de reportagens denominada "Gêmeos", que mostra algumas carrocerias de ônibus de diferentes marcas, mas que compartilham de um mesmo DNA, e que possuem apenas detalhes diferenciadores.

Confira na primeira edição, o Ciferal Urbano e seus irmãos gêmeos.


Com produção datada em 1970, o Ciferal Urbano marcou por sua carroceria feita em Duraluminio - material leve e resistente, e que foi herança da Metropolitana. O Ciferal Urbano contrastava com seus concorrentes, por causa de suas modernas linhas, predominantemente retas e com estrutura aparente, onde os perfis de alumínio nu produziam seu próprio acabamento.


O modelo era produzido na fábrica-matriz no Rio de Janeiro e nas filiais, em São Paulo e em Recife.


Em 1978, o modelo urbano da Ciferal ganhou sua primeira remodelação, ganhando o nome Tocantins, que herdou de seu irmão mais velho as linhas retas e a carroceria em alumínio. O modelo foi fabricado até 1983.


No final da década de 1970, a Ciferal passou por uma grande crise, que culminou em um processo de concordata, gerando uma cisão entre as três fábricas da marca, gerando as marcas Ciferal Paulista e Reciferal, que fabricavam ônibus com o mesmo projeto da matriz, com pequenas mudanças de acabamento.


A Ciferal Paulista lançou seu modelo urbano em 1979, com design bem semelhante ao modelo carioca. Ele permaneceu em produção até 1981, quando a fábrica mudou seu nome para Condor.


Em 1983, a Ciferal carioca lança o modelo Fênix, que não passava de um Tocantins com pequenas mudanças estéticas. O Fênix foi fabricado por três anos, sendo substituído pelo Alvorada.


Enquanto isso, mesmo com uma boa produção e boas vendas, a Condor entrou em processo de concordata em 1983, e sua massa falida foi adquirida por um grupo de investidores, cujo sócio majoritário chamava-se Antônio Thamer.

Com o que sobrou da Condor, ele fundou a Thamer Comercio de Ônibus - Thamco, e iniciou a produção do modelo Falcão, usando os mesmos gabaritos do Ciferal Urbano da década de 1970 e de seus derivados.


O Thamco Falcão permaneceu em produção até o ano de 1988, sendo substituído pelo modelo Águia.

Ciferal Intermunicipal

As versões "intercity" dos ônibus urbanos da Ciferal são bastante raras, e surgiram quase que em conjunto com as versões urbanas. Equipadas com bagageiro e acabamento próximo aos ônibus rodoviários, os modelos intermunicipais não obtiveram o sucesso desejado e atualmente são bem difíceis de se encontrar.

O Ciferal Intermunicipal entrou em produção pouco tempo depois do Urbano e foi substituído na década de 1980 pelo Solimões.


O Solimões é a versão intermunicipal do Tocantins, preparada para viagens de curta e média distâncias. Com porta semelhante aos modelos rodoviários, a versão permaneceu em produção entre os anos 1981 e 1989.


Resumo cronológico da produção dos modelos:

Ciferal Carioca
 - Urbano (1970 - 1976)
 - Tocantins (1976 - 1983)

 - Fênix (1983 - 1986)

Ciferal Paulista/Condor

 - Ciferal Paulista Urbano (1979 - 1981)
 - Condor Urbano (1981-83)

Thamco

 - Falcão (1983 - 1988)

Aguarde a segunda matéria da série "Gêmeos", está imperdível!

Fonte: MOB Ceará

2 comentários:

Marinaldo P. D. Junior disse...

Tive o privilégio de ver tudo isso ao vivo! Parabéns, ótima matéria!

Siegfried Emmelmann disse...


I really like your blog.. very nice colors & theme. Did you create this website yourself or did you hire someone to do it for you? Plz respond as I'm looking to create my own blog and would like to find out where u got this from. thanks a lot bank of america online sign in banking

Tradutor