MOB conhece novos automáticos da Viação Princesa Conheça os dois hobbys que andam juntos: Busologia e Spotting Prefeito afirma vir articulados para corredor da Aguanambi Uma história exclusiva do Ciferal Jardineira Diversas fotos de ônibus antigos no MOB Relíquias. Clique nessa foto São Benedito oferece visita ao MOB Ceará

quinta-feira, 26 de abril de 2012

6ª Câmara Cível condena empresa de turismo a indenizar 45 passageiros de ônibus que incendiou

A 6ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça do Ceará (TJCE) condenou a NB Viagens e Turismo Ltda. a pagar R$ 83.700,00, divididos, igualmente, para cada um dos 45 passageiros do ônibus da empresa que pegou fogo durante viagem. A decisão, proferida nesta quarta-feira (25/04), teve como relatora a desembargadora Sérgia Maria Mendonça Miranda.

Em abril de 2005, estudantes de jornalismo fretaram o coletivo para ir ao Congresso Regional de Comunicação Social, em Belém (PA). Os passageiros alegaram que, durante a viagem, o veículo apresentou problemas, chegando a ficar parado por quatro horas para conserto. No dia 26 do mesmo mês, quando voltavam a Fortaleza, os defeitos se agravaram e um incêndio teve início em uma das rodas traseiras do ônibus, que descia a Serra da Meruoca, distante 251 km da Capital. O fogo se alastrou e destruiu todo o coletivo.


Nenhum dos 45 universitários ficou ferido, mas as bagagens foram destruídas. Sentindo-se prejudicados, ingressaram com ação na Justiça requerendo indenização por danos morais e materiais. A NB, na contestação, rebateu os argumentos dos estudantes e defendeu que a Sul América Companhia Nacional de Seguros deveria figurar no processo. O Juízo de 1º Grau condenou a empresa de turismo a pagar quatro salários mínimos para cada passageiro. Determinou também que a Sul América pagasse R$ 3 mil de indenização material para cada vítima.

Inconformadas com a decisão, seguradora e NB Viagens ingressaram com apelação (nº 77998-29.2005.8.06.0001/1) no TJCE. A NB reafirmou os argumentos da contestação e a Sul América defendeu que o pagamento da apólice é indevido, pois a culpa pelo sinistro foi da empresa responsável pelo ônibus. Além disso, sustentou que os danos materiais não foram comprovados. Ao analisar o caso, a 6ª Câmara Cível condenou a NB a pagar R$ 1.860,00, a título de danos morais, para cada passageiro. O órgão julgador acatou o pedido da seguradora e afastou a condenação por danos materiais, por não terem sido comprovados.

A relatora afirmou que “não se pode reputar a situação de pânico e aflição vivida pelos apelados [estudantes], ao se verem dentro de um ônibus tomado pelo fogo, pondo em flagrante risco as suas vidas, como uma situação corriqueira ou mero aborrecimento inerente à vida cotidiana”.

Fonte: TJ/CE
Foto: Valdenio M. Cândido

Nenhum comentário:

Tradutor