REDES:

_

Viação Princesa batiza seu novo Double Decker em Canindé Crateús Turismo se destaca pela sua significativa expansão MOB Ceará realiza cobertura completa de vinda do TRIBUS da Itapemirim ao Ceará Teresina é a capital nordestina com mais linhas interestaduais, veja o ranking completo Oitava geração de ônibus rodoviários da Marcopolo é lançada

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

quinta-feira, 28 de outubro de 2021

Empresas de ônibus rodoviários passam a investir em envios rápidos de cargas e encomendas

O setor de cargas e encomendas passa a ser a melhor alternativa na geração de receita diante a um cenário pandêmico no país. As empresas de ônibus do setor rodoviário passaram a investir em estruturas para envios rápidos de cargas e encomendas.

Diante de um cenário pandêmico, onde muitos setores foram afetados, principalmente o setor de transporte de passageiros, empresas rodoviárias tentam achar alternativas para sobreviver, com investimentos indo desde promoções e pacotes de viagens, até fretamento de ônibus com valores reduzidos.

Com a expansão do setor de cargas e encomendas e também do crescimento na comercialização de produtos via e-commerce, a necessidade de oferecer novas opções para os clientes se viu ainda maior, abrindo um grande mercado não só para empresas de transporte de cargas que trabalham com caminhões e carretas, mas também para as empresas de ônibus do setor interestadual. As empresas de ônibus viram, diante a esse cenário de necessidade, uma oportunidade de utilizar os bagageiros dos ônibus para acomodar volumes de cargas.

O setor de cargas e encomendas se tornou a principal opção de geração de receita para as empresas do rodoviário interestadual de passageiros, sendo usado um ou dois gavetões dos veículos escalados diariamente em determinadas linhas. Afim de oferecer uma melhor experiência para os clientes e também para trabalharem de uma forma organizada, muitas companhias de ônibus investiram em bases para receber as mercadorias, que vão desde estruturas físicas, frotas exclusivas para coletas e entregas, além de investimentos no atendimento exclusivo personalizado. Todos esses meios ajudam a reduzir o tempo de envio e a entrega dos pacotes.

Outros investimentos são em modificações de alguns ônibus, sem interferir no conforto do passageiro que usufrui do conforto oferecido por cada companhia. Empresas como Expresso Satélite Norte e Ouro e Prata, são exemplos de companhias que necessitaram modificar alguns de seus veículos que operam nos principais trechos onde há uma grande movimentação de envio de cargas e encomendas.

A Satélite Norte adaptou a parte inferior de dois de seus Double Deckers que operam na linha Fortaleza x Teresina (PI), e possuem os prefixos: 18014 e 18015.

A Ouro e Prata adaptou também um de seus G7 1200, de prefixo 610, com uma curiosa adaptação na parte traseira com a abertura e colocação de uma porta extra, para acomodar encomendas de tamanho menor. Para isso, foi usada a metade da parte traseira, como mostra as fotos a seguir:

O ônibus modificado da Ouro e Prata opera no setor Norte do país, em linhas interligando o estado do Pará ao Centro-Oeste e Sul.

A companhia também já chegou a retirar bancadas de alguns ônibus do modelo Viaggio G7 900 e G7 1200 para transportar apenas mercadorias entre o Norte e o Centro-Oeste.


Outra adaptação interessante, feita pela Expresso Guanabara em parceira com a empresa parceira Despacho Rápido, é o envio de encomendas em caixas de acrílico e plástico na cor azul clara, oferecendo assim uma melhor acomodação dos pacotes sem haver perdas e extravios de mercadorias.

No setor Nordeste, a Braex, que pertence ao grupo empresarial da
Viação Catedral, é um dos destaques no envio de cargas e encomendas via bagageiro dos ônibus. A companhia possui uma alta receita na Região Nordeste, tendo recordes de faturamento principalmente no Ceará. O grande diferencial é o atendimento personalizado mantido pela companhia.

Já a Satélite Norte criou a divisão “Satélite Express”, que trabalha com pacotes menores enviados em caixas com estruturas em acrílico e plástico, onde o cliente se desloca até o guichê da companhia na rodoviária e entrega a mercadoria ou objeto que deseja enviar.

Divisões de cargas

As principais empresas rodoviárias que trabalham com envio de encomendas e cargas possuem uma divisão ou parceria para o setor, citaremos alguns exemplos:

Viação Catedral (DF): Braex (Brasília Express)
Grupo Guanabara: Despacho Rápido
Expresso Satélite Norte (GO): Satélite Cargas/Satélite Express
Ouro e Prata (RS): Viopex
Viação Soares (PE): VaiLog
Auto Viação Progresso (PE): ProLog
Viação Novo Horizonte/Expresso Maia: Maiex
Viação Andorinha: Andorinha Express
Grupo Belarmino: VBex
Princesa dos Campos: PrinEx
Viação Garcia/Brasil Sul: H24 Encomendas
Grupo JCA: BusLog
Eucatur: Eucatur Cargas e Encomendas

Estes são alguns exemplos de empresas e grupos que possuem suas divisões cargueiras para atender esse tipo de demanda. São diversas divisões e a listagem geral é bem extensa.

Com a criação ou a ampliação dessas divisões, outras foram surgindo em estilo “startup”, como por exemplo a paulista By Bus.

Possibilidades de envios via ônibus

Com o setor, há várias possibilidades de envio rápido em um bagageiro de um ônibus, que vão desde produtos não perecíveis, roupas, calçados, confecção, remédios, e-commerce, peças automotivas e outros diversos tipos de mercadorias.

Curiosidades

O setor de envio de encomendas via ônibus é bem desconhecido, mas você sabia que ele já existia há muitos anos?

O envio de cargas e encomendas iniciou bem antigamente, e uma das principais propulsoras desse tipo de envio é a Viação Itapemirim, que durante muitos anos trabalhou com a sua divisão Itapemirim Cargo, onde já chegou a utilizar, além de bagageiros, ônibus cargueiro, carretas, caminhões e até aviões cargueiros exclusivos da própria empresa.


Com a chegada da pandemia e a grande necessidade de envio, o setor passou a ser muito mais conhecido, sendo o grande personagem na elevação do faturamento de muitas empresas de ônibus no Brasil.

Demanda

Atualmente, o envio de cargas e encomendas através de bagageiro já é responsável por metade dos ganhos mensais de algumas empresas de ônibus interestadual. As companhias já passam a abrir horários para determinadas localidades, focando apenas na demanda cargueira, sendo o transporte de passageiro apenas uma espécie de “demanda complementar” de faturamento.

Enviar a sua encomenda via bagageiro de um ônibus é, sem dúvidas, uma das melhores opções, tanto por ser econômico quanto também pelos prazos de envios acessíveis.

Redação: Roger Gomes

Fotos: Redes Sociais e André Luiz Gomes

quarta-feira, 27 de outubro de 2021

Técnica: conheça um dos chassis com motor dianteiro da Scania

A marca sueca Scania é uma das mais antigas fabricantes de chassis. Na matéria de hoje, o site MOB Ceará especificará os detalhes do chassi F230. 
 
 
O chassi teve sua produção iniciada no ano de 2009 e chegou ao fim em 2012. A motorização podia ser aplicada em carrocerias urbanas ou rodoviárias e estava enquadrada no nível de emissão de gases número 3.
 
 
O F230 dispõe de um motor de cinco cilindros com quatro válvulas em cada um, sistema de injeção PDE, turbocompressor e intecooler. O motor tem uma potência de 230hp/169Kw e torque máximo de 1050Nm. O chassi conta também com transmissão G701 (manual de 06 marchas) e suspensão com molas.
 
 
O computador de bordo disponibiliza informações como dados sobre a viagem (distância, velocidade, consumo, tempos de operação), dados instantâneos, mensagem de advertência e indicador de manutenção futura. Grandes empresas do Brasil compraram este chassi, dentre elas, a Expresso Princesa dos Campos, a Comércio e Transporte Boa Esperança e a Express Transportes Urbanos LTDA.
 

Redação: Nemezio Neto

terça-feira, 26 de outubro de 2021

Busscar conclui a fabricação dos primeiros El Buss FT da Fretar

A Fretar já está prestes a receber os dois primeiros Busscar El Buss FT que encomendou há alguns meses.


Os carros são equipados com o chassi Mercedes-Benz OF-1721L, e foram fotografafos ainda nas dependências da fábrica. A terceira unidade, que foi pedida mais recentemente, ainda irá para o processo de produção, e virá com o chassi Volkswagen 17-230 OD, conforme noticiado por este site. Veja fotos dos Busscar Mercedes:



Redação: Narcisio Santos

segunda-feira, 25 de outubro de 2021

Ranking das carrocerias vendidas no SIT-For nos últimos 5 anos

O MOB Ceará levantou alguns dados para conferir o percentual de participação das carrocerias que comercializaram ônibus em Fortaleza, especificamente ao setor urbano.


De 2016 até o momento, foram entregues 503 novos ônibus para as empresas que constituem ou fizeram parte (Terra Luz) do SIT-For, considerando apenas os carros que chegaram de fábrica direto pras empresas.

Somente 4 fornecedores estão na lista, uma vez que outras marcas possuem melhor performance com veículos rodoviários, na maior parte no fretamento.


Dos 503 ônibus, houve uma surpresa: a Caio e a Marcopolo tiveram apenas 10 unidades vendidas de diferença. A Caio lidera com 217 ônibus, e a Marcopolo com 207. Em seguida, vem a Neobus com 64 carros e a Mascarello com 15. A Comil não forneceu veículos urbanos durante esse período. Veja em percentual:

Caio Induscar: 43,14%
Marcopolo: 41,15%
Neobus: 12,72%
Mascarello: 2,98%


A Neobus e a Mascarello tiveram suas últimas vendas até 2017, sendo que o último a chegar foi em 2018.

O sistema urbano de Fortaleza ainda contém veículos das montadoras Busscar (3) e Comil (2), mas a idade deles não entra nos requisitos desta pesquisa.


Redação: Narcisio Santos


sábado, 23 de outubro de 2021

Itapemirim 31001: um dos “filhos únicos” da empresa

A Viação Itapemirim marcou a história do transporte por diversas inovações desenvolvidas pela empresa. O seu fundador Camilo Cola, que faleceu recentemente, criou e adaptou diversos veículos ao longo do seu período à frente da empresa. Hoje, o MOB Ceará apresentará o veículo de prefixo 31001 que foi um dos “filhos únicos” da empresa.
 
 
O Tecnobus Tribus III tem chassi Mercedes-Benz OH-1635L e teve seu terceiro eixo adaptado pela companhia. O ônibus em questão possui poltronas reclináveis, janelas corrediças e cabine divisória. O chassi conta com um motor OM-447 LA com potência máxima de 260Kw (354cv), torque máximo de 1550 Nm, 06 cilindros verticais em linha, bomba injetora do modelo Bosch. A transmissão do veículo é a ZF S 6-105/ 6,98 com acionamento por meio de alavanca e com 06 marchas sincronizadas.
 
 
O “Mercedão” operou em diversos trechos atendidos pela empresa, dentre eles: Caratinga (MG) x São Paulo (SP) e Muqui (ES) x Campos dos Goytacazes (RJ). O MOB Ceará pesquisou o paradeiro do veículo, e seu último registro, foi na cidade de Recanto das Emas (DF).
 


Redação: Nemezio Neto

sexta-feira, 22 de outubro de 2021

Desativados: 12253 da São José

Foi retirado de operação pela São José o micro de prefixo 12253. Segundo informações, o veículo foi vendido.



Com a saída do veículo supracitado e do 12255, esse já citado numa matéria anterior, o carro 12254 se torna o único micro-ônibus 2012 ativo pela empresa.

O MOB aproveita este espaço para retificar uma informação dada anteriormente sobre o micro 12401. A empresa optou por manter o veículo na frota, e o referido coletivo segue em operação.

Redação: Paulo Henrique Felício

quinta-feira, 21 de outubro de 2021

Ônibus novos e insumos estão mais caros

Manter uma empresa de ônibus está, a cada dia, mais difícil.



No turismo e fretamento, a dificuldade se dá porque os custos aumentam e a "prostituição" dos preços acaba tirando muitas empresas do caminho e insustentando as que se "prostituem", sem que elas percebam.



Já no transporte regular de passageiros o modelo é diferente. As empresas perderam clientes pelo desemprego que cresceu com a pandemia, para outros modais como o transporte por aplicativo, sendo que este último representaria em torno de 15 a 20% da demanda, segundo falou o presidente do Sindiônibus em uma entrevista no podcast "Dei Valor", no YouTube.

O aumento no preço dos pneus, óleos lubrificantes e outros insumos para a manutenção dos ônibus não chegam perto do aumento do preço do aço, principal material que é feito o chassi dos ônibus, que teria subido 120% no último ano.



Todo esse custo ainda não foi repassado na tarifa do ônibus, e em muitas cidades, talvez nem aconteça. Em Fortaleza tem-se uma das tarifas mais baratas do Brasil dentre os sistemas integrados. O impacto desse aumento de custos com perda de demanda vem sendo sentido com as baixas renovações. Apesar do comércio ter voltado, muitas empresas mudaram seus hábitos, continuando com alguns funcionários trabalhando em casa, dispensando custos com transporte público, por exemplo.

Um ônibus novo está custando em torno de R$ 560mil, sendo que os veículos mais velhos de algumas empresas são vendidos na faixa de 35 a 70 mil. Seria necessário vender, "sem gastar", quase 16 ônibus para se comprar um!



O que poderá dar uma aquecida nas renovações em 2022 pode ser a implementação do sistema de tratamento de gases Euro VI, que vai ser iniciado a partir de janeiro de 2023 e deve encarecer ainda mais os custos para as montadoras de chassis, que irão repassar aos seus clientes. Esse "boom" é  previsto pois já aconteceu em 2011, antes da implementação do Euro V.


Redação: Narcisio Santos

quarta-feira, 20 de outubro de 2021

Duas linhas de Fortaleza passam a ser operadas por "micrões"

A partir de hoje, duas linhas de ônibus de Fortaleza estão sendo operadas por ônibus mais curtos ("micrões"). Ambas têm a Dragão do Mar como empresa operadora.



A linha 349 - Conjunto Veneza Tropical/Mirassol 2 agora conta com 3 midis ano 2021 (42105, 42106 e 42107). Os veículos são equipados, entre outros itens, com tomadas USB para carregamento de smartphones.




A outra linha que teve a sua categoria alterada foi a 353 - Parangaba/Parque Veras. A rota é operada agora por dois ônibus ano 2016 (42609 e 42610).




E quanto aos outros ônibus novos?

A Dragão do Mar escalou os outros 03 novos Apache Vip nas linhas 404 - Aeroporto/Benfica/Rodoviária (42101 e 42102) e 501 - Bairro de Fátima (42103).





Redação: Paulo Henrique Felício
Colaboração: Gabriel Victor

Micros 2015 são vendidos pela Vitória

A Empresa Vitória disponibilizou para venda, há algum tempo, seus micro-ônibus ano 2015, do modelo Marcopolo Senior com chassi Mercedes-Benz LO-916. E alguns já foram adquiridos.



O carro 6995 foi vendido para a Cooperativa de Passageiros de Caucaia (COOPERTEC), onde recebeu o código 10-B.




Outro veículo, que tinha o prefixo 7015, agora compõe a frota da COOTRAPS, recebendo o código 67511, e deve estar operando em breve.




Redação: Paulo Henrique Felício


terça-feira, 19 de outubro de 2021

Linha do dia: Juazeiro do Norte (CE) x Aracaju (SE)

Em mais uma edição do quadro "Linha do dia", o MOB Ceará apresentará os detalhes da linha que liga um município cearense (Juazeiro do Norte) a capital de Sergipe (Aracaju).
 
 
Segundo os dados que constam no sistema da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), somente a Empresa Gontijo de Transportes tem permissão para operar regularmente o trecho que será descrito nesta matéria. A linha que parte de Juazeiro do Norte, segue pelas cidades de Missão Velha (CE), Brejo Santo (CE), Salgueiro (PE), Serra Talhada (PE), Floresta (PE), Petrolândia (PE), Paulo Afonso (BA), Canindé de São Francisco (SE), Monte Alegre de Sergipe (SE), Nossa Senhora da Glória (SE), Itabaiana (SE), chegando assim, a Aracaju (SE).
 
 
O serviço oferecido pela Gontijo, neste trecho, é somente convencional. A seguir, o MOB Ceará detalhará o quadro de horários da linha e valor médio tarifário. Todas as informações desta matéria foram retiradas do portal da ANTT e do site da empresa. A viagem tem em média 15 horas de duração e percorre cerca de 730 de quilômetros.
Juazeiro do Norte (CE) x Aracaju (SE). Valor: R$ 115,50.
As quartas-feiras e as sextas-feiras às 08h.
Aracaju (SE) x Juazeiro do Norte (CE)
As segundas-feiras e as quartas-feiras às 08h. Valor: R$ 105,08.
 
 

Redação: Nemezio Neto

segunda-feira, 18 de outubro de 2021

RCR Locação lança nova identidade visual

A RCR Locação divulgou, em suas redes sociais, fotos de um dos seus mais novos veículos que tem estampada a nova identidade visual que a empresa irá adotar em sua frota.



A pintura chama muita atenção por ser bastante diferente da anterior, com o verde como cor predominante. Com a mudança de layout, a companhia visa garantir o fortalecimento da sua identidade no mercado, porém com a mesma tradição.




Redação: Paulo Henrique Felício


650 - Messejana/Centro/BR Nova/Expresso é uma das poucas linhas que não reduziram a frota

Diante do "enxugamento" dos ônibus nas ruas, causados pela evasão dos passageiros por diversos motivos, a linha 650 - Messejana/Centro/BR Nova/Expresso foi uma das poucas que não tiveram alteração na frota durante os horários de pico.


Na rota, continuam os 15 ônibus que operavam antes da pandemia. Diferentemente da linha 600 - Messejana/Frei Cirilo/Expresso, que deixou de ter 8 para operar com 5 carros.

Nas linhas da grande Messejana, a frequência não foi muito alterada em relação a outras regiões de Fortaleza. Apesar de pequenas perdas, houve a criação de uma nova linha, ligando o Pedras ao Centro, onde 4 ônibus dão uma viagem pela manhã e à tarde, sem reduzir a frota das linhas de bairro/terminal. Outras linhas tiveram o aumento na frota, como na 631 - Carlos Albuquerque, que contava com 2 ônibus e foi adicionado um micro-ônibus da COOTRAPS.

Redação: Narcisio Santos

sábado, 16 de outubro de 2021

Carros 2019 da Total chegam a garagem da Viação Princesa

Confirmando a noticia exclusiva que o MOB Ceará deu meses atrás, a Viação Princesa recebeu ontem 3 Marcopolo Paradiso New G7 1200 da Viação Total, com ano de fabricação 2019.


Os veículos equipados com o chassi Mercedes-Benz O-500R, Wi-Fi, USB, 42 poltronas executivas e toalete, possuíam os prefixos 904 a 906, e serão numerados na nova empresa de 0241906 a 908.

A Total tomou a decisão de repassar a sua linha na região Nordeste para o grupo Guanabara e priorizar as operações nas regiões Sul, Sudeste e Centro-oeste, onde ela possui maior força no mercado. A Viação Princesa, em 2021, está inserindo 4 veículos, dentre eles, o Double Decker da Busscar que não chegou a rodar pelo seu primeiro dono e foi adquirido 0km pela empresa, mesmo que o veículo estivesse há 1 ano sem operar. Veja fotos dos carros da Viação Total em solo cearense:



Redação: Narcisio Santos

Crateús Turismo adquire mais um Double Decker

A Crateús Turismo adicionou à sua frota, há alguns dias, mais um ônibus Double Decker. O veículo ano 2016 foi adquirido da Expresso Guanabara onde tinha o prefixo 0711659.


O Marcopolo Paradiso G7 1800 é equipado com chassi Mercedes O-500RSD, e possui configuração mista, com 12 poltronas leito no piso inferior e 48 poltronas executivas no piso superior, todas com tomadas USB. O ônibus também conta com wi-fi, frigobar e sistema multimídia no serviço leito.

Redação: Paulo Henrique Felício

Aquisições: Autoviária Freitas em 1999

Em 1999, a Autoviária Freitas adquiriu 2 lindos Marcopolo Torino do modelo recém lançado.

Os carros ganharam os prefixos 22015 e 22030, que foram alterados no ano seguinte para 22915 e 22930. Eles eram equipados com o chassi Mercedes-Benz OF-1721, e rodaram pela empresa até o fim de suas operações, em 2003.

O ano de 1999 foi o ano que a empresa menos comprou carros novos, antes da crise, devido que em 1997 e 1998 a pequena empresa havia adquirido muitos ônibus novos, um percentual de quase 20% da frota operante, índice maior do que muitas outras empresas de maior porte.


Redação: Narcisio Santos

sexta-feira, 15 de outubro de 2021

São José e Santa Cecília são as "majoritárias" da linha Grande Circular

As empresas São José e Santa Cecília são as empresas com maior participação nas linhas 051 e 052- Grande Circular 1 e 2.


As duas rotas possuem 32 ônibus, e deste total, são 8 da São José e 7 da Santa Cecília. Com as constantes permutas entre as 11 empresas do sistema urbano, a atual distribuição das tabelas da linha está da seguinte forma:

051- Grande Circular 1

3 da São José
2 da Fretcar
2 da Aliança
2 da Santa Cecilia
3 da Vega (Jacarecanga)
4 da Via Urbana


052 - Grande Circular 2

1 da Viação Fortaleza
5 da São José
1 da Aliança
2 da Via Urbana
1 da Vega (Jacarecanga)
5 da Santa Cecília
1 da Dragão do Mar

Redação: Narcisio Santos