REDES:

_

Brasileiro 5045: um raro G6 Volvo que operou no intermunicipal cearense Sistema urbano de Fortaleza com 100% da frota acessível Expresso Cabral comemora 65 anos com renovação de frota Vega Manaus já passa de 160 ônibus e recebe 4 Marcopolo 0km Prime Plus recebe o MOB Ceará pela primeira vez Expresso Tur apresenta seus rodoviários ao MOB Ceará

quinta-feira, 29 de dezembro de 2016

Expresso Cearense e sua história contada por um filho do fundador

Nathan Gomes Botelho, um dos principais personagens da história do transporte coletivo cearense, iniciou sua vida no interior do Maranhão, mais precisamente na cidade de Balsas.


Ele trabalhava fazendo diversos serviços, até que comprou um burro, que pouco depois vendeu e foi fazendo sua vida.

Nathan foi morar em São Paulo, e começou a trabalhar na Viação Cometa. Seu desejo de ser motorista era evidente, até que conseguiu realiza-lo.



Após algum tempo, o saudoso Nathan Gomes viu a necessidade de empreender. Ele saiu da Cometa, comprou um ônibus velho e criou a linha São Paulo x Crato.


Seus amigos o esnobavam, dizendo que ele teria deixado de dirigir ônibus modernos para rodar em carros velhos, porém ele se defendia afirmando que "era melhor rodar em ônibus velho dele do que carros novos dos outros", e assim continuou em sua trajetória.



Em 1974, o empresário decidiu vender a Expresso Cearense, e montou a Brasileiro, cobrindo linhas da região norte do Ceará com rotas intermunicipais.


As linhas intermunicipais do audacioso empreendedor fez da Brasileiro uma das principais empresas do segmento intermunicipal e metropolitano do Ceará. Nathan Gomes Botelho faleceu em 2003, mas sua história é lembrada toda vez que alguém vê um ônibus das empresas de seus filhos, inclusive a Litorânea, do Maranhão.


E hoje, um colecionador resolveu adquirir um dos ônibus da família para homenagear o saudoso Nathan. Um Marcopolo Viaggio GV 1000 está sendo reformado e ganhou o nome da Expresso Cearense e um prefixo fictício. O MOB foi até a garagem para conferir os retoques finais da reforma. Confira em primeira mão:







Fonte: MOB Ceará
Redação: Narcisio Santos
Revisão: Arthur Mikael
Agradecimentos: Dilermano Botelho

12 comentários:

Marinaldo P. D. Junior disse...

Que matéria sensacional! Fatos históricos muito bem ilustrados com raríssimas imagens e um final surpreendente! Agora ficou a curiosidade de ver o GV 1000 com a pintura da empresa!

Unknown disse...

O MOB como sempre nos surpreendendo com matérias muito bem feitas e inéditas! Parabéns a todos!

MOB Ceará disse...

Agradecemos a todos. O MOB sempre buscou ser diferente. Ao invés de fazer reprises por cima de reprises, preferimos contar histórias inéditas e fora do que a maioria já conhece. O bom da busologia é o conhecimento de novas histórias.

Unknown disse...

Bela Matéria.

Unknown disse...

Bela matéria para um Grande Homem,Pai,Amigo,irmão e Tio,
Valeu tio Natan...

Unknown disse...

primeiro o expresso de luxo agora a cearense proxima expresso fortaleza q


Unknown disse...

Parabéns uma bela e merecida homenagem a esse Cearense, íntegro que nos deixa um grande legado Gratidão!! Amigo QUERIDO, seja LUZ 💥👏👏👏

Unknown disse...

Parabéns pelo a matéria , merecida homenagem ,e orgulho de ser Cearense....

Unknown disse...

Que história linda da Expresso cearense pois vim nela e 1973 para Rio de Janeiro sou Francisco porto rosa São gonçalo r j

José Gusmão disse...

A compra da Expresso foi feita pela Pensatur.Tempos atrás recebi cópia do contrato de venda

xikim disse...

vide, que a 3ª e 4ª FOTOS, essas foram feitas na cidade do CRATO; A 3ª na rua João Pessoa, haja vista, apesar da destruição da casa, para instalar uma Loja, o sobradinho permanece - e a 4ª foto, é na Praça da Sé, mesmo local que foi fotografado o outro veículo com a carroçaria Pasula (Relíquia) - bem como, observem, na 7ª foto, a Numeração da Linha - 9 - para Massapê, a primeira que o Órgão do Governo utilizou para as devidas Autorizações da época, considerando: 1 - Sobral, 2 Cedro, 3 Crato, 4 Icó, 5 Brejo Santo, 6 Campos Sales, 7 Várzea Alegre, 8 Iguatu, 9 Massapê, 10 Ipu, et alli ...

xikim disse...

observem MAIS: o veículo de Numeração 15, foi Licenciado sua Placa em Juazeiro; o veículo com a Numeração 17, o Licenciamento da Placa foi realizada no Crato; outro com a Numeração 19, o Licenciamento da Placa, pelo formato poderá ser São Paulo; enquanto, o veículo com a Numeração 22, NÃO mostra Placa Afixada - bem como, ainda NÃO encontrei algo comum à década de 1960, os 2 Licenciamentos para os veículos Ônibus, que circulavam nas Linhas Interestaduais - da Origem e o Destino - a exemplo, que vi, quando criança, em veículo da Viação Varzealegrense, uma placa com Licença do Crato, ao Lado de outra, com Licença de São Paulo.