REDES:

_

Com novidades, Viação Itapemirim recebe o MOB Ceará São José de Ribamar: a empresa extinta mais falada na busologia Marcopolo apresenta plataforma BioSafe para empresários no Ceará RCR Locação acrescenta em sua frota cearense novos Ideale 800 Horizonte Transportes inova com aquisição de ônibus 0km

sexta-feira, 10 de junho de 2011

Ministro dos Transportes pede desculpas aos cearenses

Um dos trechos mais críticos da BR-222, fica a partir do Km 90, no município de Umirim. Os prejuízos chegam a onerar em até 40% a folha das empresas de transporte
"Estou aqui, exclusivamente para cumprir minha obrigação e pedir desculpas ao povo do Ceará, pelos imprevistos ocorridos e pelo estado em que se encontram as rodovias federais", disse o ministro dos Transportes Alfredo Nascimento, ontem, na visita que fez ao Estado e anunciou a liberação de recursos para a restauração da malha viária de responsabilidade do Governo Federal. A frase "peço desculpas ao povo do Ceará", foi repetida várias vezes durante o dia de ontem pelo ministro.

Na sede do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit), em Fortaleza, foi anunciado o plano de recuperação das rodovias federais do Ceará, que vai custar mais de R$ 1 bilhão. Ao todo, serão 1,7 mil quilômetros de estradas contempladas, o que corresponde a 77% da malha viária pavimentada do Estado. Segundo o ministro Alfredo Nascimento, a BR-222, onde a situação é mais grave, será completamente reestruturada em um prazo de dois anos.

De acordo com o ´Plano de Intervenções´ apresentado pelo diretor-geral do Dnit, Luiz Antônio Pagot, serão mais 1,7 mil quilômetros de rodovia recuperados, na primeira etapa, 317 km de rodovias serão restaurados, sendo que 116 Km passarão por recuperação e 56 Km serão construídos ou duplicados, além desse total, 400 Km de malha viária passarão por manutenção pelo mesmo período de execução das obras.

Na BR-222 será totalmente recuperado um trecho de 199,2 Km, entre os municípios de Fortaleza a Tianguá. "O que o povo do nosso município quer é a recuperação do trecho que passa de Caucaia, para depois torná-lo municipal e assim o município possa ser responsável pela sua conservação", disse o prefeito de Caucaia, Washington Goes (PRB). O ministro prometeu estudar a propostas.

Desconfiança

"A gente vê sempre com desconfiança", afirma Wellington Macedo, referindo-se à crise na cúpula do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit), no ano passado. Na sua opinião, para evitar desvios de verbas, o Ministério Público Federal deve acompanhar a aplicação dos recursos para a realização das obras na BR-222. Disse que como pressão do Rally, o governo liberou R$ 450 milhões. Os prejuízos para os empresários e permissionários de transporte intermunicipal chegam a onerar em até 40% a folha das empresas.

Guanabara
 
Este é o caso da Empresa Guanabara, obrigada a desviar a rota de alguns percursos devido ao estado precário da BR-222. Conforme Ricardo Viana, gerente de manutenção da Empresa Guanabara, aponta como maior prejuízo "o tempo perdido pelos usuários". Uma viagem para Sobral, cujo tempo médio é de três horas, devido ao estado da rodovia, pode chegar a cinco horas.

"Muitas pessoas perdem consultas", observa, lamentando que os moradores de algumas cidades como Forquilha e Itapajé foram prejudicados. Outro problema, "o passageiro se sente inseguro porque o carro oscila ao passar pelos buracos".

O perigo é quando os caminhões trafegam na contramão, fugindo da buraqueira. O tráfego se tornou inviável, sendo necessários desviar pela CE que liga Fortaleza a Itapipoca. "Consideramos este o principal prejuízo". Além dos custos, quebra de suspensão, aumento de combustível e desgaste com pneus. "A gente absorve todo o prejuízo", desabafa, explicando que por ser ônibus de linha, cuja concessão é feita via licitação do Estado, a empresa não pode alterar a tarifa. Diferente das empresas que operam com fretes, por exemplo.

Fonte: Diário do Nordeste
Fotos: Marilia Camelo/ Marcelo Santos

0 comentários: