MOB conhece novos automáticos da Viação Princesa Conheça os dois hobbys que andam juntos: Busologia e Spotting Prefeito afirma vir articulados para corredor da Aguanambi Uma história exclusiva do Ciferal Jardineira Diversas fotos de ônibus antigos no MOB Relíquias. Clique nessa foto São Benedito oferece visita ao MOB Ceará

sábado, 27 de fevereiro de 2016

Santa Maria e seus únicos Volvos da história

No início do sistema integrado de transporte de Fortaleza, as empresas de ônibus foram orientadas a comprar veículos mais robustos para operar nas novas linhas que seriam criadas a partir dos terminais, que estavam sendo criados pouco a pouco.

E neste tempo, quem ainda não tinha veículos do tipo ''pesado'' na frota, teve que fazer a aquisição destes modelos que, na época, pertenciam às montadoras Scania, Volvo e Mercedes-Benz.

A empresa Santa Maria realizou, em 1992, a aquisição de 8 unidades do modelo Ciferal Padron Rio encarroçados sobre o chassi Volvo B58, o único da categoria que na época possuía motorização central. Os carros de 3 portas que, inclusive foram os primeiros da frota, receberam os prefixos: 20308, 20309, 20310, 20316, 20332, 20334 e 20335, sendo que os carros 20316 e 20310 possuíam a pintura laranja circular, utilizada em linhas como o Grande Circular, Av. Borges de Melo e Av. Paranjana, já os demais veículos eram pintados no padrão troncal.

Um detalhe interessante foi que os carros 20316, 332, 333, 334 e 335 tinham o logotipo diferente, como em forma de uma assinatura.


Os Ciferal Padron Rio foram escalados em linhas como: 041 e 042-Av. Paranjana 1 e 2, 028-Antônio Bezerra/Papicu, 200-Av. Bezerra de Menezes, 250-Ant. Bez. Centro/Expresso e a 220-Av. Sargento Hermínio.

Alguns dos veículos foram vendidos em meados de 1997 para a São Francisco, já outros, segundo informações, teriam sido repassados para a extinta São Cristóvão e Viação Brasília, porém o MOB ainda não possui a informação concreta sobre esse detalhe.

Confira mais imagens encontradas através de pesquisa:


Fonte: MOB Ceará 
Colaboração: Thiago Herberton

Nenhum comentário:

Tradutor