MOB Ceará participa de reportagem acadêmica sobre busologia Ranking das frotas mais novas do metropolitano Conheça a nova linha da Busscar Veja a lista dos ônibus mais geladinhos de Fortaleza. Concorda? Uma história exclusiva do Ciferal Jardineira São Benedito oferece visita ao MOB Ceará

sexta-feira, 2 de outubro de 2015

Empresas desativaram e reativaram veículos na frota

Há algumas semanas atrás, a Auto Viação Dragão do Mar retirou de circulação alguns de seus Torinos 2007, que são equipados com o chassi Mercedes-Benz OF-1418.

Os ônibus possuem os prefixos 42753, 42754, 42758 e 42762. Dois deles, já haviam cessado as atividades há mais de um mês, porém como estava cadastrado no sistema urbano de Fortaleza, o MOB não oficializou a noticia, pois haveria possibilidade dos mesmos voltarem a circular.

A Maraponga, desativou seu primeiro acessível leve. O carro 26919 teve suas operações encerradas há algumas semanas, ele operava na linha 456-Planalto Ayrton Senna/Parangaba, e está na garagem sem validador. Com isso, a empresa mantém apenas 7 carros 2009 em operação.

Já a Viação Fortaleza, retirou de circulação mais um Sênior, que possuía o prefixo 02013. O veículo está sendo reformado para ser entregue ao seu novo dono.



Enquanto a Dragão do Mar, Maraponga e Fortaleza desativaram seus veículos, outras tiveram que reativar alguns ônibus que estavam disponíveis à venda, como a São José. 

A empresa recebeu algumas tabelas da Cearense Transportes, que encerrou suas atividades no início deste mês, e com a necessidade de urgência, a São José recolocou em operação, os ônibus de prefixos 12512, 12513, 12817 e 12818. Ao chegar mais veículos novos na empresa, os carros deverão novamente sair de circulação, além de outros veículos.

Fonte: MOB Ceará

2 comentários:

Mércia Nascimento disse...

Porque as empresas com os veículos mais novos não ganham novas linhas? Isso deveria ser levado em conta na distribuição das tabelas. São José e Vega possuem ônibus circulando com 10 anos de uso enquanto a maraponga por exemplo tem uma frota de 6 anos.

Nos-767 disse...

A distribuição de vagas é de acordo com a participação no mercado, Mércia. De forma a manter a proporção de participação no sistema. Isso é o que o "consórcio" determina.

No caso específico das empresas citadas, elas necessitam comprar mais ônibus que as outras pra manter o índice de renovação e, é visível que há uma limitação financeira do CF, que foi às compras em outros lugares tirando da Vega, por ex.

Tradutor