MOB conhece novos automáticos da Viação Princesa Saiba quantos ônibus a gigante Gontijo possui MS Turismo renova frota com Caio Solar 2013 Viação Penha se mantém com a 4ª frota mais nova João Pessoa-PB renovando a frota com Torino São Benedito oferece visita ao MOB Ceará

segunda-feira, 2 de fevereiro de 2015

Técnica: Portas automáticas de ônibus

Grande parcela da população já andou de ônibus pelo menos uma vez na vida e com certeza se deparou com a curiosidade sobre o funcionamento da abertura e fechamento das portas do veículo, que são acionadas ao mínimo toque de botão ou alavanca.

Poucas pessoas sabem como funciona o sistema e o MOB Ceará pretende colaborar com o esclarecimento de mais uma curiosidade sobre o ônibus.

Saiba mais, nesta matéria, sobre as portas automáticas de ônibus.


Para entender o funcionamento de abertura e fechamento das portas da grande maioria dos ônibus, é necessário que antes, haja uma explicação básica sobre o sistema de freios de um ônibus.

O sistema de freio utilizado em um ônibus é diferente do sistema de um automóvel de passeio, pois, por conta do maior peso que o veículo pode carregar, ele necessita de uma atuação mais eficiente. Enquanto um automóvel possui um sistema de freios hidráulico, ou seja, por acionamento com óleo, o freio de um ônibus é pneumático, que utiliza o ar comprimido em vários momentos.

O portal "O mecânico" explica o principio de funcionamento do sistema de freio pneumático: 

"De acordo com a Knorr-Bremse, o funcionamento do sistema acontece da seguinte maneira: o compressor comprime o ar e o envia para o regulador de pressão, que controla a pressão de trabalho do sistema, jogando para a atmosfera o excesso produzido pelo compressor. Em seguida, a pressão regulada é distribuída para os quatro circuitos independentes através da válvula de proteção de 4 circuitos.

A distribuição do ar comprimido é feita separadamente, uma via é destinada para os freios traseiros, outra para os freios dianteiros, uma outra para o de estacionamento e uma saída para acessórios, que incluem freio motor e buzina. Isso impede que o sistema fique completamente sem assistência quando uma das vias apresenta avarias. Se vazar ar de uma das saídas, as outras serão bloqueadas evitando perda de pressão em todo o circuito de freio."

Mas o que isso tem a ver com as portas? É que a saída de acessórios do sistema de freios do veículo é a responsável por enviar a pressão de ar para acionar a abertura e o fechamento das portas.

É por isso que é fácil abrir a porta de um ônibus com as próprias mãos quando o reservatório de ar (mais conhecido como balão) está vazio.
Também por isso, quando o reservatório está cheio, é bem difícil abrir com as próprias mãos, pois, naquele momento, a pressão do ar atua para manter a porta fechada.

Saiba mais sobre as portas, através das várias classificações de abertura, listadas a seguir:

Pela fonte de alimentação

*Mecânica - A movimentação é realizada por meio de barras que acionam mecanicamente a porta. Na prática é um prolongamento do braço do motorista, que usa da própria força para abrir ou fechar a porta. Este sistema é obsoleto e não é utilizado nos ônibus urbanos e rodoviários brasileiros atuais.


*Pneumática - É a que possui alimentação direta pelo sistema de freio, e seu funcionamento depende da disponibilidade de ar no reservatório. Possui acionamento por válvula pneumática, instalado próximo ao motorista.


*Elétrica - Dispensa o uso do sistema de freios para seu funcionamento, sendo dependente do sistema elétrico do veículo. Pode ser acionada por botões e programada para diversas situações, como as funções anti-esmagamento e o anjo da guarda, que impede o movimento do ônibus com as portas abertas.

As portas pneumáticas e elétricas dos ônibus urbanos tem algo em comum, que é a estrutura dos atuadores que fazem a porta se movimentar. Nos ônibus urbanos, os equipamentos são instalados em um gabinete fixado na parte interna, acima da respectiva porta.


Para o acionamento pneumático, estão instalados, na bandeja de fixação, os cilindros pneumáticos que são ligados ao sistema de freio, e que, ao comando do motorista, puxam ou empurram sua haste, fazendo o pivô girar para abrir ou fechar a porta.


Na porta elétrica, o principio é o mesmo, entretanto, em vez dos cilindros pneumáticos, atuadores elétricos assumem o papel de movimentação, utilizando-se de uma cremalheira para movimentar o pivô da sua porta.


Pela característica mecânica de abertura

*Por dobradiça (Rodoviários) - Forma mais simples de abertura, com dobradiças semelhantes as utilizadas em residências. Era fixada com parafusos ou rebites. Muito utilizado em rodoviários de décadas atrás, atualmente este sistema é pouco utilizado.
 
Ônibus com portas com dobradiça

*Pivotada (Urbanos) - Abertura sem dobradiça, que utiliza dois pivôs (um superior e um inferior) para cada porta. Tem construção mais simples e manutenção mais barata.


Normalmente, quando fechada, a porta fica em um nível interno, ou seja, forma um baixo relevo em relação à carroceria, e quando aberta, parte da porta fica fora da carroceria.

Ônibus com portas pivotadas
*Basculante (Urbanos) - Possui construção mais elaborada que faz a porta deslizar para dentro do veículo.

Possui uma barra vertical que gira e puxa a porta para o interior, enquanto uma guia superior encaminha a porta de forma que ela fique perpendicular a carroceria, quando aberta. Ela também possui uma guia inferior, mas ela é apenas de apoio a superior.


Quando fechada ou quando aberta, a porta se mantém no mesmo nível de profundidade da carroceria.


*Pantográfica (Rodoviários) - Realiza a abertura de forma a deslizar a porta para a lateral exterior do ônibus. A abertura é feita por um elemento mecânico chamado "braço-árvore" ou pantógrafo (o nome pantógrafo também se refere a uma ferramenta de desenho).


A porta pantográfica é a mais utilizada atualmente em rodoviários, apesar de alguns veículos utilizarem o método por dobradiça. Variações da porta pantográfica são utilizadas, inclusive nos porta-bagagens dos referidos ônibus rodoviários.

*Deslizante (urbanos) - Para a abertura da porta deslizante, inicialmente, a mesma é empurrada para fora, sendo empurrada para as laterais por meio de guias similares às da porta basculante.


As portas deslizantes são encontradas principalmente nos trens e metrôs, mas podem ser observadas em alguns ônibus da Infraero e vários ônibus estrangeiros.


Confira abaixo, dois vídeos que mostram um pouco dos sistemas de abertura basculante, pivotada e pantográfica, com acionamento elétrico.





Porta de Emergência

Todos os sistemas de abertura mostrados anteriormente, funcionam em situações normais de funcionamento do veículo, entretanto, existem casos especiais que se necessitem a abertura da porta em caráter emergencial.


Para estes casos, os ônibus possuem diversas portas de emergência, que, além das portas comuns, são disponibilizadas em outros locais, como as escotilhas no teto e janelas laterais. As portas de emergência devem estar sinalizadas com símbolos na cor vermelha, e o acionamento específico de cada uma delas também deverá ser detalhado em cada veículo.


Fonte: MOB Ceará
Colaboração: Brapax

3 comentários:

Giovanny William disse...

Ótima matéria, esclareceu a minha curiosidade. 👏👌

Unknown disse...

Excelente matéria.
Esclareceu minha dúvida

Anderson Lopes disse...

Excelente. Estarei fazendo meu TCC a respeito desse tema. Esclareceu bastante minhas dúvidas!

Tradutor