Ceará Diesel apresenta novidades em evento noturno MS Turismo realiza visita e passeio com o MOB Ceará MOB Ceará conhece Via Metro e Guanabara de Juazeiro do Norte Busólogos procuram relíquias em Redenção-CE Visita na Viação Pernambucana MOB Ceará participa de evento em Londrina-PR Busca de antiguidades em Juazeiro do Norte

sábado, 1 de novembro de 2014

Auto Viação São José: 23 anos do início de uma nova gestão

Em 01 de Novembro de 1991, começou uma nova fase na história da tradicional empresa Auto Viação São José, pois naquele dia, a então empresa individual passava a se tornar de sociedade limitada, ou seja, possuía mais de dois sócios.

Caio Jaraguá, que operou na época do Sr. Antônio Moura
Até aquele dia, a empresa era administrada por seu fundador, o Sr. Antônio da Silva Moura, que iniciou as atividades da empresa individual em Junho de 1964. 
Pouco tempo depois da venda de grande parte da empresa para um grupo de empresários em 1991, Antônio Moura saiu da sociedade da Auto Viação São José Ltda. O patriarca da empresa faleceu em 2003.

A nova gestão, que tinha como principais sócios, Francisco Feitosa de Albuquerque Lima e Valeska Chaves Feitosa, provocou uma ampliação da empresa ao longo dos anos, que naquela época possuía 27 ônibus. A novo comando utilizava conceitos modernos de administração e gestão de pessoas, se baseando na histórica vivência da família Feitosa com o transporte coletivo.

Em 2010, houve mais uma mudança no quadro societário da São José, após a fusão com a Via Máxima. Assim, diversos sócios da "04", bem como suas linhas e frota, passaram a fazer parte da "12". Com a fusão, o nome fantasia da empresa foi alterado de "Auto Viação São José" para "São José Transporte Urbano e o logotipo também sofreu modificações.


O MOB Ceará revela a você leitor, alguns detalhes que revelam o crescimento da empresa à partir de 2002. Tais dados foram obtidos por meio de pesquisas próprias.

Em 2002, a empresa adquiriu, por meio de licitação, três vagas para operar na linha 045 - Conjunto Ceará/Papicu via Montese, onde escalou três dos seus mais novos ônibus da época, que haviam sido negociados com a Autoviária Freitas. A São José havia vendido cinco Caio Vitória com chassi Ford B-1618 para a Freitas, e como forma de pagamento, viriam os 3 novos ônibus dela que equivaliam ao mesmo valor dos usados.
Na São José eles receberam os prefixos 12207, 12208 e 12209.

Em Março de 2003, a empresa adquiriu o seu primeiro veículo com elevador que não impede que usuários comuns trafeguem pela porta central: o 12301.

Em Dezembro de 2003, a empresa recebeu a primeira parte das linhas adquiridas da Viação Costa do Sol, que foram as 202 - Rodolfo Teófilo/Bezerra de Menezes; 302 - Rodolfo Teófilo/José Bastos e 303 - Igreja São Raimundo. Com elas vieram emprestados 10 micro-ônibus Caio Piccolo com ano de fabricação 2001/2002, que ganharam os prefixos 12210 ao 12219 na São José. Além disso, a empresa também pegou emprestado um micro da Rota Sol, que ganhou o prefixo 12317, ele possuía o modelo Marcopolo Sênior e chassi Mercedes Benz LO-914.

Em 01 de Abril de 2004, a São José iniciou as operações nas linhas 305 - Bela Vista/Humberto Monte e 365 - Bela Vista/Viriato Ribeiro, com seis carros no total. Naquele momento a empresa estava adquirindo algumas linhas da Viação Costa do Sol, que havia sido vendida para a família Feitosa, detentora de grande parte das empresas de ônibus de Fortaleza, e com isso, vieram os Caio Apache S21 com prefixos 08105 ao 08112. Eles  ficaram emprestados por cerca de uma semana, na São José, e ganharam adesivos com os prefixos 12105 ao 12112.

Um dos veículos que a Costa do Sol emprestou por uma semana
Ainda em 2004, a empresa foi a pioneira em trazer veículos da montadora Neobus para o sistema, com os seus Thunder Boy de prefixos 12401 ao 12412.

Em 01 de Dezembro de 2007, a São José, assim como as demais empresas consorciadas ao Sindiônibus, recebeu algumas linhas da Viação São Vicente, que naquele momento estava fechando as portas. A São José ficou com as seguintes linhas: 332 - Siqueira/Lagoa (3 tabelas) e 355 - Siqueira/José Bastos (2 tabelas), com isso a empresa pegou de volta 5 veículos que havia emprestado para a Vega Transportes.

Um dos efetivos da linha 355 na época

Também neste mesmo mês de Dezembro, a empresa comprou o primeiro Torino 2007 com chassi OF-1418 com elevador para cadeirantes. O novo 12717 substituiu, na linha 038 - Parangaba/Papicu, o Torino GV de prefixo 12617 que era o veículo mais velho da empresa e que tinha o antigo elevador.

Em 2008, foi adquirido o primeiro veículo da classe MIDI: o 12801, que possui o modelo Neobus Spectrum City, o micrão foi o primeiro do modelo no sistema urbano de transporte da capital.

Em 2010, após fusão com a Viação Via Máxima, a empresa passou de 116 veículos para 204, e se tornou ainda mais forte no sistema urbano de Fortaleza, sendo considerada naquele momento como a segunda maior empresa de ônibus em relação à frota operante na capital cearense.

Em 2013 a empresa ganhou destaque por ser a primeira do sistema urbano de Fortaleza a realizar testes em diversos modelos de chassi, como o OF-1724 da Mercedes-Benz, Scania F250HB, e variados chassis Volvo.

A São José testou, entre outros, um ônibus híbrido com chassi Volvo B215RH equipado com carroceria Marcopolo Viale BRT; Um Neobus Mega BRS com chassi Volvo B290RLE; e dois veículos do tipo articulado Volvo, sendo um com piso baixo e o outro com piso normal e sistema de Ar-condicionado.

 

Atualmente, a São José possui cerca de 251 veículos, sendo que somente nos últimos dois anos, foram adquiridos um total de 55 veículos novos até o momento, sem contar com o articulado 12499. 


O MOB Ceará através desta simples homenagem, parabeniza a todos os que fazem ou fizeram parte da história da São José, desde a sua fundação, afinal, todos contribuíram com o seu trabalho para o crescimento desta renomada empresa de transporte público cearense.

Fonte: MOB Ceará/Cepimar

Um comentário:

Deixe seu comentário sobre nossas matérias, ou mande sugestões através do contato [email protected]
Ressaltamos que não nos responsabilizamos pelo conteúdo dos mesmos.

Tradutor