MOB conhece novos automáticos da Viação Princesa Conheça os dois hobbys que andam juntos: Busologia e Spotting Prefeito afirma vir articulados para corredor da Aguanambi Uma história exclusiva do Ciferal Jardineira Diversas fotos de ônibus antigos no MOB Relíquias. Clique nessa foto São Benedito oferece visita ao MOB Ceará

sexta-feira, 13 de junho de 2014

Técnica: Câmbio Manual x Automático x Automatizado: Quais as diferenças?

Durante muito tempo, a capital cearense foi marcada por uma certa monotonia no que se refere especialmente ao sistema de transporte público urbano, visto que um determinado modelo reinou quase que absoluto por cerca de seis anos. Desde o processo licitatório ocorrido em 2012, este cenário mudou, com a presença cada vez mais significante de várias encarroçadoras  e também de outros modelos de chassis, fato este que já é percebido pelos usuários do SIT-For.

São José 12364, Câmbio V-Tronic
A matéria de hoje foi idealizada com base em uma observação do Sr. José Alexandre, que comentou com um dos busólogos do MOB Ceará a respeito da ''estranha'' ausência da alavanca de câmbio em alguns dos veículos da São José.

Assim, a Equipe MOB Ceará aproveita este questionamento para tentar fornecer melhores explicações sobre os diversos detalhes acerca da caixa de mudanças, ou caixa de marchas, que tem um papel fundamental no sistema de transmissão de um veículo automotor. Câmbio é o tema desta edição do quadro "Técnica".


O sistema de transmissão é o conjunto de dispositivos que são responsáveis por transmitir o torque - ou movimento de rotação do motor às rodas.  Em veículos com tração traseira, que é o caso do ônibus, o sistema de transmissão é constituído basicamente por seis componentes: Motor, embreagem, câmbio, eixo cardã, diferencial, semieixos e rodas.

São José 12199, Câmbio automático
Vale ressaltar que, conforme tratado anteriormente, o foco desta matéria será a caixa de marchas, e portanto, os outros elementos do sistema de transmissão serão abordados na próxima matéria de "Técnica".

A caixa de mudanças é um elemento mecânico que tem o objetivo de auxiliar a transmissão do movimento produzido pelo motor, de forma a reduzir as diversas resistências que se opõem ao movimento do veículo, como por exemplo: a resistência do ar, atrito dos pneus e o próprio peso do veículo. O aproveitamento da torque é realizado através de um conjunto de engrenagens que variam de tamanho conforme a marcha solicitada.



Assim, quanto menor é a engrenagem (as primeiras marchas), maior é a força para se retirar o veículo da inércia e menor é a velocidade final alcançada. A recíproca é verdadeira, pois engrenagens grandes (últimas marchas) privilegiam a alta velocidade, mas não servem para dar a partida inicial.

Câmbio Manual

A caixa de marchas manual, ou mecânica funciona através de diversas engrenagens que entram em contato uma com a outra apenas com a marcha engatada. Uma caixa de marchas é dotada de três eixos: A árvore primária, a intermediária e a  secundária. 

A transmissão do movimento ocorre apenas se uma das marchas for selecionada, e esta seleção ocorre pela alavanca, que move um garfo, ligando à engrenagem da marcha desejada. Uma vez acionadas as engrenagens corretas, o movimento é transmitido apenas entre elas, e as outras engrenagens giram apenas por ser solidárias, sem transmissão de movimento.
Confira o video abaixo e saiba mais:



A comunicação entre o motor e a caixa de marchas é realizada pela embreagem, que tem a função de interromper a rotação dos elementos da caixa, e consequentemente das rodas, mesmo com o motor em funcionamento.
Mais detalhes no vídeo abaixo:



Câmbio Automático

A principal diferença entre um câmbio automático e um manual, é a ausência da embreagem comum, que é substituída pelo Conversor de Torque. Este dispositivo tem a mesma função da embreagem, ou seja, transferir o torque produzido pelo motor para a caixa de marchas. Enquanto a embreagem funciona por fricção, o conversor de torque é movido por um óleo especial.

O conjunto de transmissão do câmbio automático é composto por diversas engrenagens planetárias que estão sempre engrenadas entre si com a árvore principal. De acordo com a rotação dessas engrenagens, a árvore pode girar com pouca ou muita velocidade, de modo a manter a rotação do motor numa faixa de rotação constante.



Os primeiros câmbios automáticos foram produzidos pela Cadillac na década de 1930 e eram denominados Hydramatic. Essa palavra foi traduzida para o português e é amplamente utilizado até os dias de hoje. Porém, chamar um câmbio automático pelo nome "hidramático" não é a forma mais correta, pois, como falado anteriormente, se trata de uma marca.

Câmbio Semiautomático

É assim chamado pois esse tipo de câmbio é, na realidade, do tipo manual, contando com auxílio de dispositivos eletromecânicos para auxiliar nas trocas de marchas. A mudança das marchas, a exemplo do câmbio manual, possui o "solavanco" causado pela queda de rotação.

As trocas de marchas podem ocorrer automaticamente, baseadas em cálculos realizados pela central eletrônica, que é orientada pela rotação do motor, buscando uma melhor economia de combustível ou um maior desempenho do veículo. As mudanças também podem ser operadas manualmente, por botões, ou uma alavanca semelhante a um joystick.



O câmbio semiautomático está disponível em diversas marcas, para variadas aplicações, possuindo para cada marca, um nome comercial diferente, como por exemplo: V-Tronic da Volkswagen, I-Shift da Volvo, Opticruise da Scania e Powershift da Mercedes-Benz.

Aplicações dos sistemas nos ônibus de Fortaleza
 

Os primeiros ônibus com câmbio automático chegaram em Fortaleza no ano 1986, em uma aquisição da empresa municipal CTC. Eram três Marcopolo Padron equipados com chassi Volvo B58.


Depois deles, a CTC adquiriu um total de 53 ônibus equipados com câmbio automático. Eles possuíam carroceria Caio Vitória e chassi Volvo B58.


Entre outros ônibus com câmbio automático, destacam-se, os ônibus da São José de Ribamar 10031 de 1997 e 10053 e 10054 de 1999, além do ônibus de teste utilizado pela CTC, que tinha prefixo 999.


Em tempos atuais, praticamente 100% da frota de ônibus urbanos de Fortaleza utiliza a caixa de mudanças manual, entretanto, existem algumas exceções: Há alguns meses, seis ônibus foram testados pela São José Transporte Urbano, quatro deles eram equipados com câmbio automático: Eram os carros 12199, 12399, 12288 e 12299.


Vale ressaltar também que existem alguns ônibus em operação equipados com câmbio semiautomático. Eles possuem os seguintes prefixos: 12363, 12364 e 19961.


Fonte: MOB Ceará

3 comentários:

Yuri Sousa disse...

Que materia show de bola, muito massa, mob ceará vcs são os melhoroes show de bola

Christopher Atkins disse...

ATUALMENTE OS VEÍCULOS MAN VW AUTOMATIZADOS V-TRONIC SÃO:
EMPRESA SÃO JOSÉ:
12363; 12364; 12467; 12468
EMPRESA FRETCAR
19961; 19507; 19508; 19509; 19510; 19511; 19512

The SouTh disse...

já trabalhei nesse 12364 da são josé umas 4 vezes, muito bom mesmo esse carro

Tradutor