MOB conhece novos automáticos da Viação Princesa Conheça os dois hobbys que andam juntos: Busologia e Spotting Prefeito afirma vir articulados para corredor da Aguanambi Uma história exclusiva do Ciferal Jardineira Diversas fotos de ônibus antigos no MOB Relíquias. Clique nessa foto São Benedito oferece visita ao MOB Ceará

sexta-feira, 20 de dezembro de 2013

Bilhete Único passa a valer em "Topics" a partir de 15 de janeiro

A partir do dia 15 de janeiro, os quase 700 mil usuários do transporte público na Capital poderão utilizar o Bilhete Único (BU) nas 336 vans do transporte complementar de Fortaleza. Atualmente, 340 mil pessoas estão cadastradas no sistema, que tem a missão de diminuir tempo e custo das viagens.

A implantação dos novos validadores e das câmeras de reconhecimento biométrico já está sendo concluída. De acordo com o diretor técnico da Empresa de Transporte Urbano de Fortaleza (Etufor), Antônio Ferreira, não deverá haver mudanças de itinerários e linhas. “Os percursos das vans são muito propícios ao Bilhete Único, porque além de ligarem bairros ao Centro, interligam bairros sem precisar passar pelas vias centrais”, afirmou Antônio.

A ampliação do BU para o transporte complementar é a segunda etapa do projeto de integração do transporte público, que inclui ainda, em uma terceira etapa, a utilização do metrô. De acordo com Antônio, a quantidade de integrações realizadas na Capital passou de 340 mil para 1,5 milhão diariamente após a utilização do Bilhete. “A ideia é que 100% dos usuários utilizem o sistema, porque diminui até a circulação de dinheiro”, destacou. Conforme o diretor técnico, um projeto está sendo pensado para estender o Bilhete Único aos turistas, porém, sem data definida para início.

Os equipamentos que serão utilizados nas vans foram comprados em Belo Horizonte e pretendem minimizar a ocorrência de fraudes através do reconhecimento facial, que faz até oito fotos do passageiro para identificá-lo. Caso quem utilize o Bilhete não seja o titular, o número do cartão será inserido em uma lista de restrição. “O cartão não passará em nenhum ônibus ou van novamente e só será liberado após 30 dias”, alertou Antônio.

O fluxo de passageiros nos terminais de integração não deverá ser modificado, estimou o diretor técnico da Etufor. Conforme ele, outras iniciativas precisam ser executadas para que os terminais trabalhem com a capacidade projetada inicialmente. “Hoje há um déficit muito grande, estes equipamentos estão saturados”, frisou. A pesquisa de origem-destino do usuários de transporte público da Capital, que deverá remodelar a estrutura de mobilidade, ainda não tem data para começar. A última foi executada em 1996. Atualmente, apenas estudos sobre os tempos de viagens estão sendo executados.

Fonte: Jornal O Povo

Nenhum comentário:

Tradutor