MOB conhece novos automáticos da Viação Princesa Ranking das frotas mais novas do metropolitano Prefeito afirma vir articulados para corredor da Aguanambi Uma história exclusiva do Ciferal Jardineira Diversas fotos de ônibus antigos no MOB Relíquias. Clique nessa foto São Benedito oferece visita ao MOB Ceará

quarta-feira, 28 de setembro de 2011

Manifestação nos terminais de Antônio Bezerra e Lagoa

Um verdadeiro caos foi gerado pela manifestação dos trocadores, motoristas e fiscais, que resultou no fechamento parcial das entradas dos terminais de Antônio Bezerra e da Lagoa, ontem à tarde. 

A paralisação, que durou uma hora, ocasionou engarrafamento no trânsito nas áreas de seus entornos e muito transtorno aos passageiros, que tiveram de andar à pé, enfrentar longas filas e se submeter a uma longa espera.

A manifestação, de acordo com o Sindicato dos Trabalhadores em Transportes Rodoviários do Estado do Ceará (Sintro), foi uma medida em represália às empresas de transportes que não colocam funcionários para a conferência do dinheiro arrecadado das passagens.


 
Segundo o presidente do Sintro, Domingo Neto, a principal empresa que está prejudicando o trabalho dos cobradores é a Santa Cecília.
 Confira o vídeo abaixo

"Esta empresa diminuiu o seu número de funcionários e com isso, no turno da manhã, não tem quem confira o arrecadado pelos trocadores. O que acontece é que os cobradores do turno da tarde ficam incumbidos de receberem o dinheiro e, juntamente com o de seu turno, entregarem à noite, na empresa (simplesmente jogarem em um quarto) para que um funcionário no outro dia, faça a conferência. Daí é que a pessoa encarregada de conferir acusa falta de dinheiro na arrecadação, e esses valores alegados são descontados nas contas dos trocadores", explicou.

"Já comunicamos o fato ao Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros do Estado (Sindiônibus), que solicitou prazo de 10 dias para se posicionar sobre o assunto. Este prazo já venceu e, até agora, nada. O pior de tudo é que dois trocadores tiveram descontadas em seus contra-cheques as quantias de R$168 e R$72, reclamaram e acabaram demitidos pela empresa", contou. A reportagem do Diário do Nordeste tentou, até o fechamento desta edição, contato com o chefe dos cobradores da Empresa Santa Cecília, Pedro Azevedo, mas o mesmo não atendeu às chamadas. Já o Sindiônibus, por meio de sua assessoria de imprensa, disse que só se pronunciará sobre as ocorrências hoje.


Fonte: Adalmir Ponte
Fotos: MOB CEARÁ

Nenhum comentário:

Tradutor