REDES:

_

Novos LD's da Satélite Norte são conferidos por busólogos cearenses Ceará Diesel enfatiza DD's da Marcopolo e Busscar em Happy Hour Neuri Tur convida busólogos para aproximação Sindiônibus convida MOB Ceará para conversa sincera sobre mobilidade urbana MOB Ceará visita as instalações da Ferrari JG - Marcopolo MOB confere novos micros e rodoviários da Princesa

quinta-feira, 28 de maio de 2020

Pandemia faz empresas operarem em linhas que não são rotineiras

Com o aumento das regras do isolamento social no Ceará, a quantidade de ônibus nas ruas também foi diminuída, pois acreditava-se que as pessoas utilizariam os mesmo para realização de serviços essenciais.


A realidade é que em algumas linhas da capital a demanda está intermitente, sendo elevada nos horários de pico, onde trabalhadores realizam os deslocamentos casa x trabalho, trabalho x casa e depois diminuída em alguns horários do dia.


Com isso, os veículos que prestam o serviço de reserva nos terminais acabam operando linhas que não são rotineiras de suas respectivas empresas. Pois, com a demora dos ônibus efetivos das linhas, a demanda começa a aumentar e para suprir, os mesmos são escalados.


Via Urbana, Maraponga, Vega, Santa Cecília e as demais encontram-se distribuídas nos 07 grandes terminais da capital, onde atendem as solicitações de demandas diárias.


Fonte: MOB Ceará
Redação: Nemezio Neto

15 comentários:

  1. Os ônibus em Fortaleza estão superlotados em todas as horas pois a espera por um veículo chega a levar uma hora. Exemplo de ontem 27/05, saí para fazer um serviço e fiquei preso no terminal do Siqueira 53 minutos e em quase todas as linhas filas enormes por falta de ônibus.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. o que prova que esse negócio de lockdown não deu certo (a média de adesão era de 54% de movimento e teve dia que chegou a no máximo 50). Mas o governador não vai dar o braço a torcer e ainda vai dizer que salvou vidas...esse f...

      Excluir
    2. O problema não é o governador são os empresários q não colocam mais ônibus nas linhas!

      Excluir
  2. Só quero sabe quando essa palhaça inútil de lockdown vai acabar.

    ResponderExcluir
  3. Isso é uma loucura depois quando tiver muitos desempregados passando fome eles vão bota a culpa no governo federal

    ResponderExcluir
  4. Problema e que as empresas retiraram seus onibus e demitiram seus funcionários querendo economizar e a população que precise e que se lasque.

    ResponderExcluir
  5. A Pandemia não é brincadeira, o assunto é sério, e no momento atual, requer muita responsabilidade. Muita gente já morreu, muitos estão internados e outros se tratando em casa.Eu confio nas medidas adotadas pelo governo do nosso estado. Sem essas medidas, não temos como voltar atrás.FIQUEM EM CASA!!! Depois, com as precauções adotadas, cada setor da sociedade, retornará a rotina de antes, pois teremos tempo, saúde e história para contar.

    ResponderExcluir
  6. Tanta gente morrendo assassinada no Estado e, não vejo a mesma comoção, infelizmente!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não se compara morte de pandemia com mortes de cotidiano. Se formos lamentar todas as mortes que ocorreram durante o ano, viveremos só de comoção!

      Excluir
    2. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
    3. Cotidiano!? Me assusta esse tipo de comentário.

      Excluir
  7. Porém, A MAIORIA desses assassinatos, ocorrem em PESSOAS ENVOLVIDAS em algo ilícito, ou seja, depende do querer do envolvido!Já no covid-19, muitos morrem independente do querer!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Se o Estado tivesse preocupação com vidas, traria mais segurança a população de bem, coisa que não está acontecendo. O que existe, é esse discurso demagógico de que, a vida está em primeiro lugar, acordem!!!

      Excluir
  8. Bares e comunidades com aglomerações, impossível não morrer

    ResponderExcluir
  9. Parece que só é válido morte por corona, é difícil!!!

    ResponderExcluir

Deixe seu comentário sobre nossas matérias, ou mande sugestões através do contato [email protected]
Ressaltamos que não nos responsabilizamos pelo conteúdo dos mesmos.