MOB conhece novos automáticos da Viação Princesa Saiba quantos ônibus a gigante Gontijo possui MS Turismo renova frota com Caio Solar 2013 Viação Penha se mantém com a 4ª frota mais nova João Pessoa-PB renovando a frota com Torino São Benedito oferece visita ao MOB Ceará

segunda-feira, 1 de outubro de 2012

Passageiros reclamam de mudança de rota

Na Praça da Estação, no Centro da Capital, o fluxo de pessoas é intenso durante todo o dia, especialmente na ida e volta do trabalho. O local, onde atualmente circulam sete linhas de ônibus, recebeu, recentemente, mais duas, o que não tem agradado à maioria dos usuários, que reclamam da falta de estrutura e, principalmente, da insegurança naquela área.

O assistente financeiro Paulo André Farias, 30, reclama que a linha Circular II, que antes fazia parada final na Rua Padre Ibiapina, agora se desloca até a Praça da Estação. Por conta da mudança de rota, ele explica que o ônibus acaba demorando bem mais e, por isso, vem quase sempre lotado. "Ele tem que entrar na Praça, dar uma volta, estacionar, dar outra volta no quarteirão e seguir novamente para a rota, ou seja, somente atrapalha mais ainda o trânsito e a vida dos usuários", diz.

Nove linhas de ônibus têm parada na Praça da Estação. Recentemente, as linhas Circular I e II também foram transferidas para o local, o que tem gerado atrasos e insatisfação dos usuários. Segundo Etufor, não há prejuízos - Foto: Fabiane de Paula



Para ele, a situação atual está caótica, já que a população acaba se atrasando e estressando os motoristas. Segundo acrescenta, na última segunda-feira (24), todos os usuários de um dos veículos, que já estava atrasado cerca de 30 minutos, ficaram revoltados por terem que descer para esperar por outro. "Será que vale a pena pagar a tarifa mais barata do País e ter um péssimo serviço?", questiona.

Indagado sobre a situação atual dessa linha, um dos motoristas da linha Circular II, que não quis se identificar, confirma que a reclamação é geral, principalmente quando os passageiros precisam descer pra esperar por outro carro, no horário de intervalo dos motoristas. Sobre o atraso, afirma que é comum acontecer de manhã cedo e depois das 16h, em virtude do trânsito complicado nas ruas do Centro da Cidade, e das faixas exclusivas para o Transporte Coletivo ainda não serem respeitadas. "Na Duque de Caxias e Imperador, o fluxo não ajuda", comenta.

Perigo
A agente administrativa Sâmia Brito, 33, também não gostou da mudança nas paradas. Usuária da linha Circular I, que também foi deslocada para o local, afirma que fica mais temerosa pela falta de segurança. "Acho perigoso, porque ficamos mais expostos. A região do Centro é bem crítica, principalmente durante a noite", comenta.

E o medo atinge também os usuários de outras linhas da Praça da Estação. É o caso da zeladora Rita de Cássia, 43, que já foi vítima de assalto, e afirma sair do trabalho no turno da noite sempre com medo. "Não gosto de ficar esperando na minha própria parada porque ela fica distante das demais", acrescenta. Segundo avalia, o policiamento, apesar de existente, não é suficiente para deixar a população mais tranquila. "Nos fins de semana, a sensação de insegurança é ainda maior", diz.

A assessoria de imprensa da Empresa de Transporte Urbano de Fortaleza (Etufor) informou, por meio de nota, que o ponto final das linhas Circular I e Circular II foi transferido da Rua Padre Ibiapina para a Praça da Estação para garantir o funcionamento das faixas preferenciais e otimizar os deslocamentos dos usuários de transporte público no Centro.


Segundo a nota, a mudança não gera prejuízos aos usuários, já que os coletivos continuam realizando o embarque e desembarque nas paradas da Rua Padre Ibiapina. Além disso, de acordo com o comunicado, "o tempo de viagem dos coletivos reduziu, o que tem possibilitado que os usuários cheguem ao seu destino de modo mais rápido".

Em relação ao policiamento, o relações públicas da Polícia Militar, tenente-coronel Fernando Albano, esclarece que a segurança na Praça da Estação é feita por meio de rondas periódicas de viaturas do Ronda do Quarteirão, do Policiamento Ostensivo Geral, assim como do patrulhamento realizado pelo Batalhão de Policiamento com Motos, e também pelo policiamento a pé.

Fonte: Renato Bezerra/Diário do Nordeste

4 comentários:

Jdavi Fortaleza disse...

Uma pergunta: A pagina do mob no facebook esta fora do ar? Sobre a materia, gostei da mudança, pois o senai é meio esquisito, ja a praça da estação é bem mais central (de dia, pq de noite não tem bom no centro não, é perigoso em todo canto).

Mateus Tomé Silva disse...

É essa a Fortaleza Bela que a Luizianne quer para o povo de Fortaleza. Metade da Praça da Estação é ocupada por uma feira que poderia estar em outra praça que não final de linha de ônibus. Depois que colocaram aquela feira, a praça já ficou apertada. Aí eles ainda vem colocar não sei quantos ônibus da linha do circular parados ali em frente atrapalhando a vida de quem pega ônibus naquela praça. Ninguém sabe mais onde é que o ônibus para, nem mesmo o motorista. É gente correndo pra poder pegar o ônibus em meio ao tumulto feito pela prefeita. Como se não bastasse a licitação que deixou mais de 1000 motoristas e cobradores desempregados, eles ainda vem fazer uma bagunça dessa em frente a Praça da Estação, como se na Padre Ibiapina não tivesse espaço suficiente para os ônibus encostarem. Domingo tem eleição. Votem no ELMANO que ele vai CONTINUAR com essa FORTALEZA BELA que a Luizianne sempre quis para nossa cidade

Jdavi Fortaleza disse...

Mateus Tomé Silva é verdade, aquela feira cagou o pau. A praça da estação tem lugar para todas as linhas que ali param, basta que organizem as paradas e principalmente TIREM AQUELES CAMELÔS DA PRAÇA! E tambem organizem melhor a 011 e 012, pq no fim da linha são uns 10 ônibus parados de cada linha, UMA VERGONHA, pra que tanto tempo parado! Diminuam o tempo de parada destes preguiçosos e botem os carros pra rodar! Alô ETUFOR!

Didi Alves disse...

Realmente aquela praça é um local crítico,lá tem vários cheiradores de cola que ficam em cima das marquises dos abrigos de ônibus,alguns comerciantes do local até já me disseram que acontecem assaltos até mesmo durante o dia.

Tradutor