MOB conhece novos automáticos da Viação Princesa Ranking das frotas mais novas do metropolitano Prefeito afirma vir articulados para corredor da Aguanambi Uma história exclusiva do Ciferal Jardineira Diversas fotos de ônibus antigos no MOB Relíquias. Clique nessa foto São Benedito oferece visita ao MOB Ceará

terça-feira, 19 de junho de 2012

São José de Ribamar divulga nota de repúdio

A Empresa São José de Ribamar divulgou uma nota de repúdio à prefeitura de Fortaleza via Jornal O Povo hoje dia 19 de junho de 2012, acompanhe:


Pela presente nota, direcionada ao povo e às autoridades constituídas e a quem interessar possa a Empresa São José de Ribamar Ltda., sediada na rua Barão de Aratanha, n°961 A, Bairro José Bonifácio, Fortaleza-Ceará, vem por seu representante legal João Alberto Leite Barbosa, Brasileiro, viúvo, CPF 00323918387, vem protestar contra atos prefeiturais da presente administração, capazes de atingir não a empresa abaixo firmada, como também à ordem juridica do município, a estabilidade econômica e principalmente o Serviço de Transporte Coletivo do Município de Fortaleza, ferindo de morte atividades de permissionários e consequentemente o povo de Fortaleza por, entre outras coisas, inviabilizar a signatária mesmo sendo respeitada há quarenta e cinco anos como a referência no segmento de transporte coletivo em nossa capital, assim sendo considerada pela opinião pública e do mesmo modo destacada pelos veículos de comunicação.

De maneira estranha e possivelmente para beneficiar grupos econômicos oriundos de outras praças não se sabendo por qual razão a Prefeitura Municipal de Fortaleza resolveu desrespeitar todos os princípios democráticos e, de modo específico, a lei n°7163, de 30 de junho de 1992 originária da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Urbano e Infraestrutura-SEINF, tendo por objeto a concessão para  exploração e prestação de transporte coletivo urbano de passageiros no municipio de Fortaleza, fazendo obedecer régras e normas que foram capazes de alijar nossa empresa, perpetranto verdadeiro atentado para beneficiar grupo econômico que se disfarça em várias denominações, quando na verdade é uma mesma expressão econômica que veio esmagar a iniciativa local e isso cria um clima de desordem e desrespeito à própria economia local.

A Empresa São José de Ribamar Ltda. não teve condição de concorrer por conta da própria prefeitura municipal de Fortaleza que na presente administração jamais pagou os créditos relativos à camara de compensação, e isso forçou a signatária a ingressar no poder judiciário com a devida ação ainda não julgada e impetrada no dia 7 de janeiro de 2005. A Juiza Maria Vilauba Fausto para instruir o processo (N°12.482/05 - 2000.0131.1950-9) dirigiu-se ao sindicato das empresas de transportes e passageiros do estado do Ceará quando ficou esclarecido que o débito da prefeitura é superior a trezentos e trinta e dois milhões de reais em prol das empresas lesadas até abril de 2006. 

Claro que se trata de um golpe de morte consumado contra as permissionárias, muitas já extintas atropeladas pelo capital que se intrometeu na nossa economia. Alias, vale salientar que esse poderoso grupo provocou o desaparecimento de 99% das empresas locais que atuavam no sistema de transporte de passageiros entre municípios do estado do Ceará. Logicamente a Empresa São José de Ribamar Ltda. restou prejudicada em suas atividades e existência. Porém a prefeita municipal de Fortaleza por força de sua competência administrativa baixou o decreto n°12413 de  20 de junho de 2008 prorrogando até o dia 28 de dezembro de 2013 as permissões vigentes nas quais se inclui a signatária. Ressalta-se que na confusão gerada pelo desrespeito pelos princípios democráticos, até a autoridade da prefeita está sendo desrespeitada. 

Tanto assim é verdade que a empresa prejudicada acaba de receber notificação administrativa datada em 8 de junho corrente assinada por José Ademar Gondim Vasconcelos Diretor-Presidente da Empresa de Transporte Urbano de Fortaleza  S/A  ETUFOR, estranho órgão da administração municipal, pouco entendido e muito questionado e que determina, mesmo sem competência o encerramento das atividades de nossa empresa no próximo 30 de junho de 2012, à meia noite. Nesta hora macabra terá sido assassinada por ato ilicito a Empresa São José de Ribamar Ltda.

CLIQUE
PARA AMPLIAR
O mínimo que se espera diante dessa notificação ditadorial, que ignora toda uma legislação e até a lei orgânica é que a prefeita advirta seu subordinado e considere nulo o ato que praticou, notadamente por seus suspeitos aspectos. Afinal de contas no universo de tanta perversão e suspeição, há o direito adquirido mínimo de permissionário, afim de que permaneça em suas atividades até a data decretada pela maior autoridade do município. Esperando-se que que não seja desmoralizada pelo subalterno. 

Que o povo de Fortaleza fique advertido em face de uma ditadura econômica patrocinada pela Prefeitura Municipal de Fortaleza contra um empresário honrado e digno que, diferentemente do Brasil de hoje , não usa do crime e dos ilicitos para prosperar.

Essa nota também é  dirigida a consciência de uma chamada Luizianne de Oliveira Lins. Nosso desejo é que a Câmara Municipal de Fortaleza tome conhecimento do presente documento.

Fonte: O Povo

Um comentário:

Didi Alves disse...

Esse Ademar Gondin é mesmo um homem sem noção do que faz,desrespeitar uma lei municipal.Que vergonhe hein,Dr.Ademar?

Tradutor